Prefeitura do Rio multa CBF por aglomeração na final da Copa América

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, agentes também constataram diversas irregularidades durante a partida, ainda que tenha sido respeitado o limite de uso de até 10% de cada setor do Maracanã

  • Por Jovem Pan
  • 12/07/2021 12h47 - Atualizado em 12/07/2021 16h37
Foto: MAGA JR/O FOTOGRÁFICO/ESTADÃO CONTEÚDO Torcedores aglomeram em frente ao Maracanã antes de final da Copa América entre Brasil e Argentina

A prefeitura do Rio de Janeiro multou a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) em R$ 54 mil por “infração gravíssima” aos protocolos sanitários de combate à transmissão do coronavírus na final da Copa América, realizada no Maracanã, no último sábado, em partida entre Brasil e Argentina. Horas antes do jogo, que acabou com o título dos “hermanos”, houve intensa aglomeração de pessoas que buscavam ingresso para assistir ao confronto. “A medida foi tomada diante da constatação de inobservâncias às disposições contidas na Resolução ‘N’ SMS nº 4.956, de 08/07/2021 e no próprio Protocolo Sanitário apresentado pela CONMEBOL. A configuração da infração é gravíssima, de acordo com o Código Sanitário Municipal e à legislação vigente que versa sobre as medidas de proteção à vida relativas à de Covid-19, tendo em vista o dano potencialmente causado à saúde pública”, informou a Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

De acordo com a Secretaria, agentes municipais também constataram diversas irregularidades durante a partida, ainda que tenha sido respeitado o limite de uso de até 10% de cada setor do Maracanã. Além disso, a pasta informou que está apurando o episódio de exames PCR fraudados. “Apesar dos esforços do organizador foi constatado que parte significativa do público insistia em permanecer sem máscara facial e desrespeitando o distanciamento mínimo estabelecido de 2 m entre grupos e famílias”, argumentou a SMS. “Não foi realizado testagem dos convidados no local da partida, por meio da pesquisa de antígeno por swab, conforme pactuado pelo organizador no Protocolo Sanitário submetido à aprovação da SMS”, enumerou a SMS.