São Paulo perde para o River Plate e está fora da Libertadores

A um confronto do fim da fase de grupos, time de Diniz soma apenas quatro pontos, contra dez do adversário, 2º colocado

  • Por Jovem Pan
  • 30/09/2020 23h38 - Atualizado em 30/09/2020 23h50
EFE/José JácomeDiniz, que completou um ano à frente do Tricolor, gritou muito à beira do gramado, mas suas orientações não surtiram efeito

O São Paulo tinha uma tarefa difícil em Buenos Aires na noite desta quarta-feira, 30, diante do River Plate. Em terceiro lugar no grupo D, o time precisava no mínimo de uma vitória para manter vivas as chances de classificação para a próxima fase da Libertadores. O adversário, segundo colocado, desde a retomada do torneio parecia não sentir o período sem jogos, e foi para cima com toda a qualidade que se espera do atual vice-campeão.

Com uma transição lenta e um meio de campo desorganizado, o São Paulo teve dificuldades na criação. Os medalhões Daniel Alves, Pablo, Juanfran e Hernanes apareceram pouco. Reinaldo também se apresentou abaixo do esperado, e coube ao garoto Diego Costa marcar o primeiro gol são paulino, quando o placar já era favorável para o time argentino. O segundo gol do River veio pouco tempo depois, também dos pés do garoto Álvarez, de apenas 20 anos, criados nas bases do clube.

Com o resultado, o São Paulo não tem mais chances de se classificar, e coloca em cheque o cargo de Fernando Diniz. O River Plate soma 10 pontos, e o Tricolor quatro, a apenas uma partida restante pela fase de grupos. Terceiro colocado no Brasileirão, o time terá um tempo para esfriar a cabeça e se concentrar no campeonato nacional. Para cumprir tabela, o time enfrenta o Binacional no Morumbi em 20 de outubro. Já o River enfrenta a líder do grupo, LDU, que soma 12 pontos, e goleou o Binacional por 4 a 0 na última terça, 29.

O JOGO

Mesmo fora dos seus domínios, mandando o jogo o Estádio Libertadores da América, em Avellaneda, o River Plate era um páreo duro para o São Paulo. Letal, o time muito bem armado por Gallardo sabia aproveitar muito bem os espaços deixados pela zaga do São Paulo. Nos primeiros minutos, o time de Diniz chegou a assustar, mas não avançou muito, e foram os argentinos que abriram o placar, aos 10 minutos, com Julian Álvares. Em uma tabela de De La Cruz com Borré na entrada da área, ele recebeu com espaço e finalizou na saída de Tiago Volpi. Minutos depois, o goleiro conseguiu evitar o segundo gol de Álvarez com um corte certeiro, e na sobra, defender a batida de Borré.

O São Paulo chegou a igualdade na bola parada, com o garoto Diego Costa. Reinaldo cobrou escanteio e o zagueiro cabeceou firme entre os zagueiros do River Plate, sem que Armani pudesse evitar. Fernando Diniz gritava o nome de Vitor Bueno, e se irritava com as falhas defensivas apresentadas pelo São Paulo. Recuado e lento, o time deixou os argentinos se articularem, e em um contra-ataque gerado após um erro do camisa 12, Álvarez, sempre ele, deixou novamente o time em vantagem.

Na volta do intervalo, o River teve a primeira chance aos 5 minutos, com uma bola de Borré que passou muito perto do gol de Volpi. Daniel Alves tentou com Pablo pela esquerda, mas nada feito – a cabeçada do atacante foi para a lateral. Vitor Bueno tentou um cruzamento aos 13 minutos, mas Armani ficou tranquilamente com a bola. De fora da área, Juanfran bateu com força para buscar o empate, já que ao Tricolor, apenas a vitória interessava, mas a zaga fez o corte. Aos poucos, o River tirava o pé.

Os jogadores do São Paulo chegaram a pedir pela marcação de um pênalti em uma cobrança de falta de Reinaldo, que teria tocado no braço de um dos defensores do time argentino. O árbitro mandou seguir. Nesta fase da competição, não há o árbitro de vídeo para reavaliar o lance. Em seguida, Álvarez ameaçou mais uma vez, ao bater da entrada da área – a bola passou muito perto do gol, e saiu pela linha de fundo.

Aos 32, Reinaldo cobrou falta direto para o gol, mas ninguém apareceu para desviar. Armani ficou com a bola com tranquilidade. Também na bola parada, o zagueiro Léo tentou resolver a parada, ao cabecear o chute de Daniel Alves dentro da área, sem sucesso. Ao passo que o River Plate cansava, o São Paulo tentava crescer no jogo, mas a sorte parecia não estar do lado da equipe. Aos 39 minutos, Brenner finalizou cara a cara com Armani, e o goleiro fez a defesa com a coxa. Trellez, que havia substituído Vitor Bueno, ficou com a sobra, mas a bola desviou na zaga e passou por cima do gol, raspando na trave.

Nos últimos minutos, os jogadores ainda protagonizaram uma pequena confusão, quando Juanfran e Casco se desentenderam fora do lance. Ambos foram amarelados. O próximo compromisso da equipe é contra o Coritiba, fora de casa, no próximo domingo, 4, pelo Campeonato Brasileiro, às 16h.

FICHA TÉCNICA

RIVER PLATE 2 X 1 SÃO PAULO

RIVER PLATE – Armani; Montiel, Martínez Quarta, Pinola e Casco; Fernández, Pérez e De la Cruz; Álvarez, Borré e Suárez. Técnico: Marcelo Gallardo.

SÃO PAULO – Volpi; Juanfran, Diego Costa, Léo e Reinaldo; Tchê Tchê, Daniel Alves e Hernanes; Igor Gomes, Vitor Bueno e Pablo. Técnico: Fernando Diniz.

GOLS – Álvarez (11/1ºT e 37/1ºT); Diego Costa (26/1ºT).

CARTÕES AMARELOS – Enzo Pérez (19/1ºT), Daniel Alves (22/1ºT), Diego Costa (35/1ºT), Vitor Bueno (27/2ºT), Casco e Juanfran (43/2ºT).

JUIZ – Cristian Garay.

LOCAL – Estádio Libertadores da América, Buenos Aires (ARG).