Médico que atendeu Schumacher diz que tratamento pode dar resultado em até 3 anos

  • Por Agencia EFE
  • 23/10/2014 10h19

Família e médicos de Schumacher farão pronunciamento às 8h (de Brasília) desta segunda

Schumacher esquia em 2006

Estar em casa ao lado de parentes pode facilitar a recuperação do heptacampeão de Fórmula 1 Michael Schumacher após o grave acidente de esqui sofrido em dezembro de 2013.

A opinião é do médico Jean-François Payen, chefe do serviço de anestesia e reanimação do hospital de Grenoble (leste da França), onde o ex-piloto alemão foi atendido durante seis meses após o incidente.

Payen revelou em entrevista publicada nesta quinta-feira pelo jornal “Le Parisien” que visitou Schumacher em sua casa em Gland, na Suíça, como também fez quando o ex-piloto estava internado no hospital de Lausanne, no mesmo país.

O médico não quis dar nenhum detalhe sobre o estado de saúde de Schumacher, mas confirmou que ele já deixou o coma. Payen insistiu que o ex-piloto e sua família devem ter a privacidade respeitada.

Para Payen, estar perto dos familiares podem ajudar Schumacher na recuperação. No entanto, avaliou que é “preciso ser paciente” porque o processo pode demorar “de um a três anos”.

Sobre a passagem do heptacampeão pelo hospital universitário de Grenoble após o acidente na estação de Méribel, Payen disse que o piloto “estava em uma situação crítica” por causa de um traumatismo craniano “particularmente grave”.

O médico francês revelou que foi preciso adotar medidas de seguranças especiais para evitar curiosos, mas que “Schumacher foi tratado como qualquer outro paciente”.

“Ele ficou junto com os outros pacientes. Nós não temos quarto VIP (para personalidades)”, acrescentou Payen.