Presidente da Ferrari diz que não terá carro competitivo até 2022

John Elkann admitiu que a Scuderia não terá chance de título na atual temporada e em 2021

  • Por Jovem Pan
  • 28/07/2020 11h33
EFEA Ferrari teve um péssimo início de temporada na Fórmula 1

Presidente da Ferrari, John Elkann admitiu, em entrevista publicada nesta terça-feira, 28, que a equipe de Fórmula 1 não é competitiva atualmente por causa de problemas na concepção do carro e que o objetivo é iniciar uma era de vitórias a partir de 2022. “O momento da nossa parte esportiva é difícil. Houve ciclos vencedores da Red Bull, pela capacidade aerodinâmica; da Mercedes, pela habilidade na tecnologia do motor híbrido. Este ano, não somos competitivos, também por erros na fase de construção do monoposto”, disse o dirigente ao jornal italiano “La Gazzetta dello Sport”.

“Tivemos uma série de fragilidades estruturais, passamos um tempo tendo problemas na aerodinâmica e na dinâmica do carro. Também perdemos potência no motor”, explicou Elkann, antecipando que os problemas seguirão nas próximas provas. De acordo com o presidente da Ferrari, a volta por cima poderá ser dada a partir de 2022, quando acontecerão mudanças nas regras da Fórmula 1, referentes a teto orçamentário e a tempo de desenvolvimento do carro. “Daremos tudo de nós em cada Grande Prêmio, nos últimos meses de 2020 e 2021, para voltarmos competitivos em 2022. Esse é o objetivo”, disse.

Elkmann garantiu ter total confiança no diretor-geral da escuderia, Mattia Binotto, que teve o cargo colocado em xeque pela imprensa especializada, e no monegasco Charles Leclerc e no espanhol Carlos Sainz, que serão os pilotos a partir da próxima temporada. Após três provas neste ano, a Ferrari marcou 27 pontos, 94 a menos que a Mercedes, que lidera a temporada. O melhor resultado do time italiano até o momento foi o segundo lugar de Leclerc no GP da Áustria.

*Com EFE