Sem medalha em Tóquio, Wallace anuncia aposentadoria da seleção brasileira de vôlei

Atleta de 34 anos diz que deixa o time ‘com aperto no coração’, mas que precisa se dedicar à família e pensar na carreira a longo prazo

  • Por Jovem Pan
  • 15/08/2021 14h13
RICHARD CALLIS/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDOO oposto jogou pela seleção brasileira de vôlei por 11 anos

As Olimpíadas de Tóquio foram as últimas com a presença do jogador Wallace em quadra. O atleta de 34 anos anunciou neste sábado, 14, que decidiu se aposentar da seleção brasileira de vôlei após 11 anos. Em um vídeo emocionado nas redes sociais, ele diz que foi uma decisão muito difícil de ser tomada e que deve ao vôlei tudo o que tem hoje. “O vôlei me deu a família linda que eu tenho, eu devo tudo o que eu tenho hoje ao voleibol, à seleção brasileira e o mínimo que eu posso fazer é dar uma satisfação”. O oposto participou das conquistas da medalha de prata, em Londres 20212, e do ouro na Rio 2016, mas acabou ficando sem medalha em Tóquio 2020. “Tóquio foi duro, foi difícil, foi um grande desafio. Tentamos de tudo, eu fiz o que eu pude, o que eu não pude, me doei 120% para conseguir uma medalha, mas não veio dessa vez. A gente agradece muito a torcida de todos.” Para ele, o últimos Jogos Olímpicos deixaram uma lição. “É ruim terminar um ciclo com a seleção dessa maneira, mas fica de aprendizado.”

Wallace afirma que não imaginava que disputaria 3 Olímpiadas e que foram mais de 10 anos “se dedicando ao máximo” à seleção e “abrindo mão de muitas coisas”. Segundo ele, a decisão de deixar o time havia sido tomada com sua família há muito tempo. “Hoje eu deixo a seleção brasileira com aperto no coração, mas eu preciso me dedicar um pouco mais à minha família, preciso pensar um pouco mais na minha carreira a longo prazo. Então, hoje oficialmente eu me despeço da seleção. Tive a honra de participar desses 11 anos de seleção, fico muito feliz, agora começa uma nova fase”. O atleta encerrou o vídeo dizendo que vai voltar a jogar pelo Sada Cruzeiro com “foco total” e com “gana de ganhar”. Wallace tem uma história de sete anos vitoriosos no clube mineiro e agora retorna para disputar a Superliga de vôlei. “Podem esperar o Wallace de sempre, com gana, garra, raça, não largando o osso em momento nenhum. Isso vai fazer a gente levantar de novo e seguir nosso caminho. Tenho grande expectativa de uma excelente temporada agora com o Sada.”