Cerimônia de abertura das Paralimpíadas de Tóquio tem paz e inclusão como temas

Evelyn Oliveira (bocha) e Petrúcio Ferreira (atletismo) carregaram a bandeira do Brasil na parada das nações; Andrew Parsons, brasileiro presidente do Comitê Paralímpico Internacional, marcou presença e comemorou a realização dos Jogos

  • Por Jovem Pan
  • 24/08/2021 10h46 - Atualizado em 24/08/2021 10h55
Reprodução/Twitter/@ParalympicsA cerimônia de abertura das Paralimpíadas teve paz e inclusão como temas

A cerimônia de abertura das Paralimpíadas de Tóquio-2020 começou nesta terça-feira, 24, às 8h (de Brasília), no Estádio Olímpico. Assim como no evento que abriu as Olimpíadas, o cerimonial iniciou com uma linda queima de fogos de artifícios na principal arena da capital japonesa. Marcada pelos temas paz e inclusão, a festa artística teve uma performance Karakuri, uma espécie de teatro de marionetes, com cerca de quarenta bailarinos participam da apresentação. Na sequência, os agitos paralímpicos, semelhante aos aros olímpicos, entraram no ginásio flutuando. Antes da apresentação dos países, os organizadores ainda apresentaram as 22 modalidades presentes nesses Jogos. Depois, foi a vez dos representantes de cada nação desfilarem. Pelo Brasil, Evelyn Oliveira (bocha) e Petrúcio Ferreira (atletismo) carregaram a bandeira das cores verde, amarela, azul e branca.

Sob uma leve chuva, a parada das nações foi encerrada com um show de luzes e fogos. Na sequência, uma performance, denominada de “A Pequena Monoasa”, exibiu uma campanha anticapacitista. Dados as boas-vindas aos atletas paralímpicos, a presidente do Comitê Organizador da Tóquio, Seiko Haskimoto, destacou a dificuldade em preparar o evento durante a pandemia do novo coronavírus. Presidente do Comitê Paralímpico Internacional, o brasileiro Andrew Parsons também marcou presença e se pronunciou: “Não acredito que realmente estamos aqui. Muito duvidaram que esse momento fosse chegar, mas graças aos esforços de todos, conseguimos entregar Jogos seguros para atletas, técnicos e para a sociedade japonesa.”

Já na parte final do evento, o imperador do Japão, Narushito, declarou oficialmente o início das Paralimpíadas de Tóquio, sendo sucedido pelo hino do Comitê Paralímpico Internacional. A cerimônia ainda teve os japoneses Shingo Kuneida (tênis sobre cadeira de rodas) e Rie Urata (goalbaal) fazendo o juramento dos atletas, além de um novo show, o “Nós Temos Asas”, onde 52 bailarinos com deficiência mostraram que também “podem voar”. No fim, três consagrados atletas paralímpicos japoneses, Kuniko Obinata, Masahiko Takeuchi e Mayumi Narita, passaram a chama para funcionários da saúde do Japão: Taro Nakamura (médico), Tamami Tamura (enfermeira) e Fumio Usui (protesista). Eles então, entregaram a chama para Yui Kamiji (tênis sobre cadeira de rodas), Shunsuke Uchida (bocha) e Karin Morisaki (halterofilismo), que subiram uma rampa para acender a pira, dando o pontapé inicial nos Jogos.