De volta à final, franceses tentam impedir quarto ouro consecutivo dos EUA no basquete masculino

Desde a eliminação para a Argentina nas semifinais em 2004, seleção norte-americana foi campeã em todas as edições dos Jogos

  • Por Jovem Pan
  • 06/08/2021 15h00
Kiyoshi Ota/EPA/EFE - 05/08/2021 Com uniforme branco da seleção americana de basquete, o jogador Kevin Durant (de bigode e cavanhaque) maneja a bola antes de batê-la no chão Kevin Durant é uma das estrelas da seleção de basquete dos EUA nos Jogos de Tóquio

Mesmo jogando sem sua maior estrela, LeBron James, a seleção de basquete masculino dos Estados Unidos entrou nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 como a franca favorita ao ouro, que pode ser o quarto consecutivo — e o quinto nas últimas seis edições das Olimpíadas, disputadas após o chamado Dream Team de 1992. Do outro lado da quadra estará a França, que retorna a uma final olímpica 21 anos depois dos Jogos de Sidney 2000 e sonha em impedir a conquista americana. Pensando no histórico recente, a zebra é possível, já que os franceses bateram os americanos na primeira partida da atual edição dos Jogos por 83 a 76. Entretanto, mesmo levando em conta o bom momento da França, que se classificou para a final após um jogo sofrido contra a Eslovênia, os EUA surgem como favoritos ao ouro.

Relembre as últimas finais olímpicas disputadas pelos Estados Unidos

Depois do Dream Team de 1992 (que juntava astros como Michael Jordan, Magic Johnson e Larry Bird), os EUA enfrentaram a extinta Iugoslávia nos jogos de Atlanta 1996. Jogando em casa, os americanos fizeram uma campanha com 100% de aproveitamento, vencendo a final por 95 a 69. Vale mencionar que o Brasil foi um dos adversários dos EUA no mata-mata, sendo eliminado nas quartas por 98 a 75. Quatro anos depois, nos jogos de Sidney 2000, os americanos voltaram a fazer uma campanha invicta, derrotando a Lituânia na semifinal por apenas dois pontos e batendo a França na decisão por 85 a 75. Vindo de três conquistas seguidas, os EUA chegaram aos jogos de Atenas 2004 como favoritos, mas foram surpreendidos. Já na fase de grupo, somaram apenas três vitórias em cinco jogos. Na semifinal, a Argentina mostrou ao mundo do que era capaz a geração de Scola e Manu Ginóbili e derrotou os americanos por 89 a 81 e garantindo uma ida inédita à final e conquistando seu primeiro e único ouro olímpico.

Com a derrota inesperada em 2004, os americanos chegaram aos Jogos de Pequim 2008 querendo retomar o ouro. Com Kobe Bryant e LeBron James no elenco, os americanos voltaram a fazer uma campanha invicta, derrotaram o algoz de 2004 e venceram a Espanha na decisão por 118 a 107. A final se repetiu nos Jogos de Londres 2012, quando os Estados Unidos fizeram 107 a 100 em cima dos espanhóis e conquistaram o bicampeonato. Em busca do tri, os EUA foram ao Rio 2016 e, mais uma vez, não perderam nenhum jogo na busca pelo ouro. Na final, a equipe enfrentou a Sérvia e não teve dificuldades na partida, fechando o jogo em 96 a 66. Na atual campanha pelo ouro em Tóquio, a seleção norte-americana sofreu apenas um revés, justamente contra a França. Fora a derrota, venceu República Tcheca e Irã na fase de grupo e Espanha e Austrália no mata-mata. A França, por sua vez, segue invicta. Venceu os mesmos adversários que os EUA no Grupo A e bateu Itália e Eslovênia na fase eliminatória do torneio.