Espanha decepciona e só empata com o Egito na estreia do futebol masculino em Tóquio-2020

Mesmo com um time badalado, contando com seis jogadores que disputaram e foram até a semifinal da Eurocopa, a seleção espanhola, uma das favoritas ao ouro, não conseguiu romper a defesa egípcia

  • Por Jovem Pan
  • 22/07/2021 06h23 - Atualizado em 22/07/2021 06h26
Reprodução/Twitter/@SEFutbolEspanha e Egito se enfrentaram na 1ª rodada dos Jogos Olímpicos de Tóquio

A seleção espanhola decepcionou ao ficar apenas no empate em 0 a 0 com o Egito, na madrugada (horário de Brasília) desta quinta-feira, 22, na Arena Sapporo, em partida que marcou a estreia do futebol masculino nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020. Em duelo válido pelo Grupo C, a “Fúria” controlou a posse de bola e criou as melhores oportunidades, mas não conseguiu romper a defesa egípcia. Ainda hoje, Argentina e Austrália fazem o outro duelo da chave. Vale lembrar que os dois melhores de cada grupo avançam às quartas de final do torneio, que será finalizado em 7 de agosto, no penúltimo dia da Olimpíada.

A Espanha entrou em campo com um time badalado, contando com seis jogadores que disputaram e foram até a semifinal da Eurocopa, sendo eles: Unai Simón, Pau Torres, Eric Garcia, Pedri, Dani Olmo e Oyarzábal. Fora o sexteto, a equipe espanhola teve outros atletas gabaritados, como Marco Asensio, do Real Madrid. Ainda assim, a “La Roja” encontrou muita dificuldade em superar o “paredão” do Egito, que se fechou em frente à própria área e cedeu poucos espaços. A única chance clara do primeiro tempo saiu dos pés de Ceballos, que acertou a trave em chute da meia-lua. Para piorar a vida dos espanhóis, Óscar Mingueza e o próprio Ceballos deixaram a partida machucados, preocupando o técnico Luis de La Fuente.

Sonolenta, a partida seguiu na mesma toada no começo do segundo tempo, tendo a Espanha com mais domínio nas ações, mas sem incomodar o arqueiro Mohamed El Shenawy. O treinador espanhol, então, promoveu a entrada de atletas menos experientes, como Rafa Samir e Bryan Gil, na tentativa de dar mais ímpeto ao time. As sequência de passes errados, porém, impediram chegadas contundentes da Fúria. As únicas oportunidades clara foram de Rafa Mir, que cabeceou nos braços do goleiro, e Vallero, completando cruzamento para fora. Do outro lado, o Egito, campeão africano sub-23, demonstrou muita limitação técnico, com dificuldades de ultrapassar a linha do meio-campo. Os egípcios voltam a campo às 4h30 (de Brasília) do próximo domingo, quando medem forças com a Argentina. No mesmo dia, às 7h30, os espanhóis encaram os australianos.