Magia de prata: Rayssa Leal, a ‘Fadinha’, faz história em Tóquio e fica em 2º no skate street

A atleta de 13 anos até cometeu alguns erros nas voltas de apresentação, mas exibiu boas performances e conquistou a segunda posição; Momiji Nishiya, do Japão, ficou com o ouro, enquanto a também japonesa Funa Nakayama foi bronze

  • Por Jovem Pan
  • 26/07/2021 01h31 - Atualizado em 26/07/2021 01h43
Wander Roberto/COBRayssa Leal fez a final do skate street na Olimpíada de Tóquio

Rayssa Leal, representante do Brasil na final do skate street feminino, fez história ao ganhar a medalha de prata na grande decisão dos Jogos Olímpicos de Tóquio, realizada na madrugada desta segunda-feira, 26. “Fadinha”, como é conhecida a caçula da delegação brasileira de 13 anos, até cometeu alguns erros nas voltas de apresentação, mas exibiu excelentes performances e conquistou boas pontuações: 2.94 e 3.31. Já nas manobras, a maranhense caiu na primeira, fez 3.91 na segunda, 4.21 na terceira, 3.39 na quarta e sofreu uma nova queda na última. Ela ficou atrás apenas da japonesa Momiji Nishiya, dona do ouro. Funa Nakayama, também do Japão, terminou em terceiro. Com o feito, Rayssa também tornou-se a esportista mais jovem a conquistar uma medalha para o país. 

Anteriormente, ainda na noite (horário de Brasília) de domingo, as outras duas atletas do Brasil que estavam na disputa, Letícia Bufoni e Pâmela Rosa, se despediram precocemente da competição, sendo desclassificadas na semifinal por ficarem na nona e décima colocações, respectivamente – ambas eram tidas como favoritas. Ontem, no masculino, Kelvin Hoefler também foi medalhista de prata na modalidade, conquistando o primeiro pódio do país nesta Olimpíada. Desta forma, o Brasil passa a ter duas pratas nos Jogos de Tóquio, além de um bronze conseguido por Daniel Cargnin, do judô.