Natação, atletismo e parataekwondo rendem ouro ao Brasil no 9º dia das Paralimpíadas; confira resumo

Com os bons resultados, o país recuperou a sexta posição no quadro medalhas, com 19 de ouro, 13 de prata e 22 de bronze

  • Por Jovem Pan
  • 02/09/2021 11h46 - Atualizado em 02/09/2021 11h48
Reprodução/Twitter/@cpbAlessandro Rodrigo conquistou a medalha de ouro nas Paralimpíadas de Tóquio

O Brasil conquistou resultados espetaculares nesta quinta-feira, 2, o nono dia das Paralimpíadas de Tóquio. Ao todo, a delegação brasileira somou quatro medalhas de ouro, uma de prata e outra de bronze. Na natação, Gabriel Araújo voltou a brilhar, vencendo os 50 m costas S2, categoria que recebe atletas com deficiências físicas – ele já havia ganhado os 200 m livre e ficado com o vice nos 100 m costas. Além dele, Talisson Glock, de 26 anos, faturou a prova dos 400 metros livre da classe S6, voltada para atletas com deficiências físicas. Já no parataekwondo, o primeiro pódio veio com Nathan Torquato, que subiu ao lugar mais alto em sua primeira participação nos Jogos Paralímpicos. O atletismo, por sua vez, voltou a dar alegrias ao país. Alessandro Rodrigo da Silva conseguiu o bicampeonato no arremesso de disco masculino T11, para atletas com deficiência visual. Marivana Nobrega, por sua vez, ficou na segunda posição no arremesso do peso F35, enquanto Mateus Cardoso foi bronze no salto em distância T37.

Com os bons resultados, o Brasil recuperou a sexta posição no quadro medalhas, com 19 de ouro, 13 de prata e 22 de bronze. A tendência, agora, é que o país continue acumulando pódios. Isto porque a delegação conseguiu outras vitórias importantes nesta quinta-feira. Na canoagem, por exemplo, Fernando Rufino venceu sua bateria eliminatória do Va’a 200m VL2 e já foi direto para a final. Já o time de futebol de 5 venceu o Marrocos por 1 a 0 e se classificou para a decisão, mantendo firme o sonho do pentacampeonato paralímpico – a final será contra a Argentina. No goalball, a situação é a mesma: a equipe masculina foi impiedosa, bateu a Lituânia por 9 a 5 e vai brigar pelo ouro com a China. As mulheres brasileiras, porém, bateram na trave. Na semifinal, o time sofreu o empate em 2 a 2 dos EUA a 15 segundos do fim. Agora, a luta é pelo bronze diante do Japão. Quem também se deu mal foi a seleção masculina de vôlei sentado, que perderam por 3 sets a 1 para o Comitê Olímpico Russo na semi.