Tóquio deixa como principal legado a capacidade de organizar os Jogos em meio a uma pandemia

Sustentabilidade, tecnologia e o sucesso de novos esportes também ficam como bons exemplos para a próxima edição das Olimpíadas, em Paris

  • Por Jovem Pan
  • 08/08/2021 10h00
Yonhap/EPA/EFE - 04/08/2021As Olimpíadas de Tóquio foram realizadas durante a pandemia da Covid-19

Programados para serem realizados em 2020, os Jogos Olímpicos de Tóquio foram desmarcados devido à pandemia de Covid-19 e ficaram ameaçados até pouco antes da abertura. A capital japonesa lida com um aumento do número de casos que, dizem as autoridades, começou antes das Olimpíadas. Mas, apesar do justificado temor, o Comitê Organizador da Tóquio-2020 conseguiu organizar com sucesso um evento tão grandioso. Protocolos rígidos foram estabelecidos e conseguiram evitar um surto na Vila Olímpica. Os atletas foram submetidos a testes periódicos, tiveram o acesso à cidade restrito e usaram máscara o tempo todo, exceto durante as competições. Quem tinha suspeita de Covid-19 era isolado e, se comprovada a infecção, impedido de participar. A skatista holandesa Candy Davids, por exemplo, foi obrigada a voltar para casa após o exame delatá-la.

Outra marca destas Olimpíadas foi a sustentabilidade. O Comitê Organizador coletou 80 milhões de toneladas de lixo eletrônico para confeccionar mais de 5.000 medalhas. Mais de 6 milhões de celulares foram reaproveitados. Em vez de poluírem o meio ambiente, os restos de tablets, notebooks e afins agora adornam o pescoço de atletas como Isaquias Queiroz, Rebeca Andrade e Rayssa Leal. Os pódios olímpicos, construídos à base de embalagens plásticas, também se mostraram um ótimo exemplo de reutilização sustentável. Poucos equipamentos esportivos (cerca de 20%) foram construídos do zero. Os japoneses preferiram aproveitar e, se fosse o caso, melhorar a estrutura da qual já dispunha. A ideia, segundo os organizadores, foi “apresentar modelos de soluções de desafios globais de sustentabilidade para as pessoas no Japão e em todo o mundo”.

O país asiático também queria apresentar ao mundo uma edição olímpica tecnológica, com veículos autônomos e robôs assistentes, mas a pandemia atrapalhou os planos. Isso não significa que recursos tecnológicos não tenham sido experimentados em Tóquio. Medidores de precisão evoluíram de maneira impressionante da Rio-2016 para o evento deste ano. No atletismo, a pista elástica melhorou o desempenho dos corredores. Não à toa, recordes foram pulverizados. Ainda no campo esportivo, os Jogos de 2020 promoveram a estreia de cinco esportes: beisebol/softbol, escalada, karatê, surfe e skate. Esses dois últimos fizeram sucesso, renderam medalhas para o Brasil e serão mantidos em Paris-2024.