Ximenes acredita em diminuição da pena de Petros em julgamento do Pleno

  • Por Fabio Seródio/JovemPan
  • 29/08/2014 15h26

Volante acertou Raphael Claus no primeiro tempo

Petros será denunciado por agressão ao árbitro e pode pegar 6 meses de gancho

Em entrevista à rádio Jovem Pan, o diretor de futebol do Corinthians, Ronaldo Ximenes, falou sobre os julgamentos de Renato Augusto e Mano Menezes, que acontecem nesta sexta-feira no STJD, no Rio de Janeiro e sobre o dia decisivo do jogador Petros, que foi ao Tribunal Pleno para tentar diminuir a pena que recebeu por conta da agressão ao árbitro Raphael Claus, no clássico contra o Santos, disputado no dia 10 de agosto.

Ximenes revelou não acreditar que a pena do volante será totalmente reduzida, mas espera a menor pena possível. “Eu espero que haja uma redução. Quem determina a pena é o Tribunal. Espero que eles deem a menor pena possível. Acho que tirar toda a pena não acontecerá, mesmo que fosse possível”, explicou o diretor.

O dirigente afirma que o seu jogador não pode pegar seis meses de pena, interrompendo a sua carreira por longo período.

“Ele não pode ser penalizado em 180 dias e ter a sua carreira parada por conta de um choque não intencional. Eu acredito no bom senso do tribunal e rogo a eles para trazer uma solução justa”, disse.

Com presença recorrente nos julgamentos do STJD nas últimas semanas, o cartola diz que qualquer órgão, imprensa ou entidade adoram falar do time alvinegro. Ximenes ainda voltou a cutucar o Superior Tribunal de Justiça Desportiva.

“Faz uns 15 dias que eu dei uma declaração de que o STJD estava aparecendo muito. Coincidentemente no dia seguinte, saiu até no Painel da Folha de S. Paulo, o presidente do tribunal, o Dr. Caio, foi na mesma linha e disse que o STJD precisa ter um papel mais coadjuvante e menos protagonista, tem que pensar mais naquilo que mais interferiu e modificou o jogo do que nos detalhes”, apontou.

O diretor de futebol garantiou que a trombada do peruano Guerrero no árbitro da partida contra o Bragantino, na última quarta-feira, não foi intencional.

“Foi apenas um choque normal, só isso”, cravou. “Ele deveria colocar, faz parte, é obrigação. Acredito que da mesma maneira que falei do Petros, não foi intencional. O Guerrero é uma pessoa séria e não faria isso”, finalizou.