Aneel anuncia que conta de luz da tarifa social terá bandeira amarela e valor menor em novembro

Valor adicional sairá de R$ 9,49 para R$ 1,87 a cada 100 kWh consumidos no mês

  • Por Jovem Pan
  • 29/10/2021 22h14
Marcello Casal Jr. / Agência Brasil Privatização da Eletrobras animaram o mercado financeiro nesta quarta-feira Falta de chuvas fez com que nível dos reservatórios das hidrelétricas caísse e energia ficasse mais cara

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou nesta sexta, 29, que a conta de luz das famílias pobres, inscritas na Tarifa Social da Energia Elétrica, terá bandeira tarifária amarela no mês de novembro, ou seja, um valor menor. Na bandeira amarela, o valor extra pago a cada 100 kWh consumidos no mês será de R$1,87. Anteriormente, na bandeira vermelha, esse preço a mais era de R$ 9,49 às contas. O sistema de bandeiras é ativado quando o custo da geração de energia sobe, o que ocorreu no Brasil pelas poucas chuvas em 2021 que levaram a quedas do nível dos reservatórios das usinas hidrelétricas e ativação das termelétricas, mais caras. Também foi necessário importar energia da Argentina e do Uruguai para suprir a demanda.

A bandeira vermelha já era a maior para os consumidores que estão inscritos na Tarifa Social, já que a bandeira ‘crise hídrica’, criada em 2021 e que levava a um aumento de R$ 14,20 por 100 kWh consumidos, não era cobrada deles. Com mais chuvas nos meses de setembro e outubro e previsão de mais em novembro, foi possível reduzir o valor para os consumidores mais pobres. Para os demais, segue valendo a bandeira crise hídrica e ainda não há previsão de quando será possível reduzir o preço a ser cobrado – o que ainda depende de uma boa temporada chuvosa e da recuperação dos reservatórios.