Covid-19: Anvisa é notificada sobre evento adverso grave durante testes da vacina da Janssen

Evento teria acontecido no dia 2 de janeiro; caso foi analisado e avaliado como ‘não relacionado à vacina’

  • Por Jovem Pan
  • 08/01/2021 17h40 - Atualizado em 08/01/2021 18h18
EFE/EPA/DAN HIMBRECHTS/ArchivoAnvisa não irá informar se voluntário recebeu a vacina teste ou o placebo

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recebeu uma notificação sobre um evento adverso grave durante os testes da vacina desenvolvida pela Janssen, divisão farmacêutica da Johnson&Johnson, contra a Covid-19. Segundo a agência, o evento teria acontecido no dia 2 de janeiro com um voluntário brasileiro da fase 3 dos testes para o desenvolvimento do imunizante. Em comunicado, a Anvisa disse que não houve necessidade de suspender os testes clínicos, já que, segundo a farmacêutica, o recrutamento de voluntários foi finalizado no dia 9 de dezembro de 2020.  Com isso, não existem mais voluntários que irão receber a vacina teste ou o placebo. A Janssen diz ainda que, “de acordo com o investigador, o evento foi avaliado como não relacionado à vacina”. Em nota, a Anvisa diz que, segundo regulamentos nacionais e internacionais de Boas Práticas Clínicas, informações e dados sobre os voluntários serão mantidos em sigilo para “proteção dos participantes”. A agência também afirmou que não irá informar se o voluntário recebeu a vacina ou o placebo.

Um episódio semelhante aconteceu com a Coronavac, vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, em São Paulo. Na ocasião, os testes foram suspensos depois da morte de um dos voluntários, que, segundo a polícia, teria se suicidado. O governo de São Paulo afirmou que a morte não possuía nenhuma relação com possíveis efeitos colaterais da vacina. Os testes foram retomados no dia 11 de novembro, dois dias após terem sido interrompidos pela Anvisa. A suspensão esteve envolvida em uma polêmica depois que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) comemorou o episódio, dizendo que “ganhou mais uma” disputa contra o governador João Doria (PSDB).