Após passagem de ciclones, Força Nacional ficará em Moçambique até junho

  • Por Jovem Pan
  • 07/05/2019 09h05 - Atualizado em 07/05/2019 09h06
Divulgação / Ministério da Justiça e Segurança Pública24 bombeiros chegaram a Moçambique para substituir o efetivo que estava no país, desde o início de abril, trabalhando na missão de ajuda humanitária

O grupo de militares da Força Nacional de Segurança Pública enviado a Moçambique, na África, ficará no país até o dia 7 de junho. O contingente, que atua com assistência humanitária nas regiões atingidas pelo ciclone Kenneth, em Cabo Delgado, teve a sua permanência prorrogada pelo Ministério da Justiça.

A portaria, assinada pelo ministro Sergio Moro, está publicada na edição desta terça-feira (7) do Diário Oficial da União. De acordo com o documento, a prorrogação atende a manifestação feita pelo Ministério das Relações Exteriores.

Segundo a pasta, 24 bombeiros chegaram a Moçambique para substituir o efetivo que estava no país, desde o início de abril, trabalhando na missão de ajuda humanitária, após a passagem do ciclone Idai, no dia 14 de março.

“Os 20 bombeiros que participavam da missão retornam ao Brasil nesta terça-feira. Eles chegarão em Brasília por volta das 22h10 em voo comercial vindo de Guarulhos”, informou o ministério.

Com Agência Brasil