Arcebispo de Aparecida critica armas e fake news durante sermão do dia de Nossa Senhora

Dom Orlando Brandes nega que mensagens sejam direcionadas ao presidente Bolsonaro: ‘É para todos os brasileiros’

  • Por Jovem Pan
  • 12/10/2021 12h51 - Atualizado em 12/10/2021 13h01
Thiago Leon/Santuário de Nossa Senhora AparecidaMinistros de Bolsonaro estiveram presentes na missa das 9h, enquanto presidente é esperado no Santuário no período da tarde

O arcebispo da cidade de Aparecida (SP), Dom Orlando Brandes, afirmou que para ‘ser pátria amada não pode ser pátria armada’ e criticou as fake news durante sermão na missa das 9h, a principal do dia de Nossa Senhora Aparecida, celebrado em 12 de outubro. “Para ser pátria amada seja uma pátria sem ódio. Para ser pátria amada, uma república sem mentira e sem fake news. Pátria amada sem corrupção. E pátria amada com fraternidade. Todos irmãos construindo a grande família brasileira”, pediu Brandes. Em outros pontos da homilia, o religioso defendeu a vacina e a ciência, lamentou as 600 mil mortes por Covid-19 no Brasil e citou as pessoas que passam fome no país.

“Mãe Aparecida, muito obrigado porque na pandemia a senhora foi consoladora, conselheira, mestra, companheira e guia do povo brasileiro que hoje te agradece de coração porque vacina sim, ciência sim e Nossa Senhora Aparecida junto salvando o povo brasileiro. Quero pedir que cada um de nós abrace o Brasil. Abrace o nosso povo”, disse Brandes, que posteriormente também negou que as mensagens fossem direcionadas ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que defende o armamento da população e é investigado em inquérito sobre fake news no Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo o arcebispo, as falas eram para todos os brasileiros. Os ministros da Cidadania, João Roma, e da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, acompanharam a missa. Bolsonaro está no Guarujá (SP) desde sexta-feira, 8, e é esperado em Aparecida no período da tarde.