Bolsonaro: Auxílio emergencial deve ser prorrogado até o fim do ano, mas com valor menor

“Não será R$ 600, mas também não será R$ 200”, disse o presidente durante discurso em Goiás

  • Por Jovem Pan
  • 29/08/2020 12h57 - Atualizado em 29/08/2020 16h12
Marcos Corrêa/PRJair Bolsonaro participou de evento em Goiás neste sábado (29)

O presidente Jair Bolsonaro disse, na manhã desta sábado, que a intenção é prorrogar o auxílio emergencial até o fim de 2020. Contudo, o valor do benefício deverá ser menor que os atuais R$ 600. Esta semana, Bolsonaro recusou uma proposta do ministro da Economia, Paulo Guedes, que estabeleceu um valor abaixo de R$ 300 ao benefício. Durante discurso em Caldas Novas (GO), onde inaugura uma usina de energia solar, o presidente disse que o auxílio é uma forma de ajudar a economia a voltar à normalidade. “Não será R$ 600, mas também não será R$ 200”, disse.

O presidente afirmou, ainda, que o país passa por “restrições orçamentárias bastante sérias” e que o auxílio é “pouco para quem recebe e muito para quem paga”. Segundo ele, o custo é de R$ 50 bilhões mensais. Sem citar Guedes, Bolsonaro elogiou a equipe de ministros e afirmou que, como eles adotaram seu slogan de campanha, lançaria um novo, na sua oitava visita ao Estado: “Brasil acima de tudo, Goiás acima de todos e Deus abençoe o nosso Brasil”.

Usina em Goiás

A usina inaugurada hoje por Bolsonaro, com capacidade para iluminar 4.256 casas, foi construída com recursos privados e pertence ao grupo Di Roma, que possui um complexo turístico na cidade goiana, cujo principal atrativo são as águas termais. No evento, o presidente voltou a se colocar contra a cobrança de taxas sobre geração de energia solar, afirmando que “o sol não será taxado”. Em janeiro, Bolsonaro já havia dito que, após conversas com a cúpula do Congresso, a taxação sobre a atividade estava “sepultada”. O presidente passou a se posicionar com mais firmeza sobre o assunto depois que uma resolução da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) previu mudanças nos subsídios para a compensação da energia produzida em usinas fotovoltaicas. A medida foi depois revista.

*Com agências