Barroso afirma que Bolsonaro vazou dados e diz que ação ‘ajuda milícias digitais’

Ministro falou sobre o tema durante a sessão de abertura do Tribunal Superior Eleitoral de 2022; caso está em curso no STF

  • Por Jovem Pan
  • 01/02/2022 21h14 - Atualizado em 01/02/2022 21h22
Wallace Martins/Estadão Conteúdo Homem de terno Barroso é o presidente do TSE e discursou na abertura dos trabalhos da Corte este ano

Na sessão de abertura do ano, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, criticou o presidente Jair Bolsonaro (PL) pelo suposto vazamento de informações sigilosas sobre ataque hacker contra o órgão. A sessão foi realizada nesta terça-feira, 1º, e contou com a presença dos demais membros integrantes da Corte. “Tivemos que tomar uma série de providências de reforço da segurança cibernética dos nossos sistemas para nos protegermos. Faltam adjetivos para qualificar a atitude deliberada de facilitar a exposição do processo eleitoral brasileiro a ataques de criminosos”, disse o ministro.

Em crítica severa a Bolsonaro, Barroso foi taxativo ao afirmar que Bolsonaro vazou dados sigilosos e delcarou que as ações do presidente “ajudaram milícias digitais e hackers” que desejavam invadir o sistema do TSE. Em 4 de agosto de 2021, durante uma live, o presidente divulgou ao vivo a íntegra de um inquérito da Polícia Federal sobre a ação de hacker contra os sistemas da Justiça Eleitoral. O TSE pediu uma investigação contra Bolsonaro, que, por sua vez, faltou ao depoimento marcado na semana passada, em caso que está em curso no Supremo Tribunal Federal (STF).