Bolsonaro diz não ter pressa para comprar vacina: ‘A pandemia está no fim’

O presidente da República também falou sobre os R$ 20 bilhões previstos para compra os imunizantes

  • Por Jovem Pan
  • 19/12/2020 20h40 - Atualizado em 19/12/2020 20h46
EDU ANDRADE/FATOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO - 16/12/2020Jair Bolsonaro afirmou que a pressa para comprar a vacina é injustificável

Presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou neste sábado, 19, que não tem pressa para comprar a vacina contra a Covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus. Em entrevista gravada e concedida ao próprio filho, o deputado Eduardo Bolsonaro, o chefe do Executivo ainda disse que a pandemia está chegando ao fim.

“A pandemia, realmente, está chegando ao fim. Temos uma pequena ascensão agora, que chama de pequeno repique que pode acontecer, mas a pressa da vacina não se justifica, disse Bolsonaro, ao afirmar que há uma apreensão injustificada sobre a doença que já matou mais de 180 mil brasileiros. “Você mexe com a vida das pessoas. Vão inocular algo em você. O seu sistema imunológico pode reagir ainda de forma imprevista”, comentou.

Bolsonaro também falou sobre os R$ 20 bilhões previstos para comprar as vacinas. “Tem muita coisa ainda que está em segredo. Não quero externar aqui, porque a imprensa vai usar contra mim. Mas o interesse é muito grande nesses R$ 20 bilhões para comprar essa vacina”, declarou ao filho. “Não há guerra ou politização da minha parte. A gente espera uma vacina segura. A própria China… não temos informações de vacinação em massa por lá. Não tenho pressa de gastar dinheiro não. Nossa pressa é salvar vida, não é gastar não. É muito suspeita essa pressa em gastar R$ 20 bilhões em vacina”, comentou.

Na conversa com Eduardo Bolsonaro, o presidente ainda recordou que é preciso da autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para distribuir o imunizante à população. “Você não pode, sem que passe pela Anvisa, sem que tenha certificação da Anvisa, você botar a vacina no mercado. Isso é uma irresponsabilidade. Lógico, tendo uma vacina comprovada, a gente vai comprar e vai distribuir para todo o Brasil e aquele que quiser voluntariamente se vacinar, poderá fazer.”

O Brasil registrou mais 37 mil novos casos da doença neste sábado, chegando ao total de 7,2 milhões, de acordo com dados oficiais. Em relação aos óbitos, o país contabilizou mais 555, confirmando uma nova tendência do avanço do novo coronavírus em todo território brasileiro.