Bolsonaro diz que enviará equipe à Israel para tratar de spray nasal contra a Covid-19

Grupo será chefiado pelo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, que terá um encontro com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, para negociar o medicamento

  • Por Jovem Pan
  • 02/03/2021 22h07 - Atualizado em 02/03/2021 22h08
EFE/ Joédson Alves/ArchivoJair Bolsonaro quer investir em spray nasal contra a Covid-19

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta terça-feira, 02, a apoiadores, ao chegar ao Palácio da Alvorada, que uma equipe de dez integrantes do governo decola neste sábado, 06, à noite para Israel para tratar do spray EXO-CD24, que, de acordo com ele, pode auxiliar no tratamento contra o novo coronavírus. O presidente declarou que “está tudo acertado, mas não quer dizer que vai acontecer” para que seja dada a entrada da documentação do remédio em teste na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para que a fase 3 do estudo seja feita no Brasil. Bolsonaro disse que o grupo será chefiado pelo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e terá um encontro com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, além de visitar o hospital onde o spray é testado e o laboratório que faz as pesquisas. “Todas as tratativas foram feitas, acordos memorandos”, afirmou.

“Como é para ser usado em quem está hospitalizado, quem está em UTI (unidade de terapia intensiva), eu acho que não tem problema nenhum em usar esse spray no nariz do cara. O que que é esse spray? Não sei. Mas o que acontece? Esse produto, há dez anos, estava sendo investigado, estava sendo estudado lá em Israel para outro tipo de vírus. E usou isso daí em 30, em 29 deu certo. O último demorou um pouco mais, mas também segurou. Parece que é um produto milagroso, parece. Nós vamos atrás disso”, disse. Segundo Bolsonaro, onde houver possibilidade de salvar vidas, não será deixado a oportunidade passar.

Vacinas contra a Covid-19

Sobre as vacinas contra a Covid-19, o presidente da República reafirmou que, uma vez aprovado o imunizante, a administração federal comprará. “O Brasil, se eu não me engano, é o sexto país em números absolutos que mais vacinam. Devemos receber este mês, está quase certo, no mínimo 22 milhões de vacinas”, acrescentou.

*Com informações do Estadão Conteúdo