Brasil perdeu 1,2 milhão de alunos da educação básica durante a pandemia, diz Inep

Segundo o Censo Escolar 2021, número de matrículas em escolas de educação básica caiu a partir de 2019

  • Por Jovem Pan
  • 31/01/2022 20h58 - Atualizado em 31/01/2022 22h34
Ricardo Cassiano/Prefeitura do Rio de Janeiro alunos em sala de aula do rio Número de crianças matriculadas na educação básica caiu

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou nesta segunda-feira, 31, o Censo Escolar 2021. De acordo com o levantamento, 1,2 milhão de alunos deixaram a educação básica desde 2019, ano em que começou a pandemia. Há dois anos, o número de matrículas somando a educação infantil (até 5 anos), o ensino fundamental e o ensino médio foi de 47.874.246. Em 2021, este número caiu para 46.668.401. Só a educação infantil registrou 7,3% matrículas a menos, o que corresponde a 650 mil crianças.

O índice de alunos matriculados em creches caiu 9% entre 2019 e 2021. A redução mais notável foi na rede privada, que apresentou uma queda de 21,6% neste período. Já na rede pública, a queda foi de 2,3%. De acordo com o Inep, o número de matrículas nos anos finais do ensino fundamental – do sexto ao nono ano – aumentou durante a pandemia. Em 2021, houve acréscimo de mais de 53 mil alunos. A proporção de alunos matriculados no ensino médio também cresceu 4,1% durante a pandemia.

Gráfico do Inep

Gráfico do Censo Escolar mostra redução de matrículas no ensino básico

Comentários

Conteúdo para assinantes. Assine JP Premium.