Chuvas no sul da Bahia deixam dez mortos e 6,3 mil desabrigados

51 municípios estão em estado de emergência; governo estadual anuncia gabinete de crise e envia projeto de lei à assembleia estadual que cria linha de crédito para comerciantes

  • Por Jovem Pan
  • 13/12/2021 16h49 - Atualizado em 13/12/2021 16h51
Isac Nóbrega / Presidência da República Área alagada por chuvas em Itamaraju, no sul da Bahia Itamaraju é uma das áreas mais afetadas pelas chuvas; Bolsonaro e Rui Costa sobrevoaram a cidade no domingo

As fortes chuvas que atingem o sul da Bahia já deixaram ao menos dez mortos, além de 267 feridos e 6.371 desabrigados, segundo dados da Superintendência de Proteção e Defesa Civil da Bahia (Sudec), atualizados até às 13h45 desta segunda, 13. As mortes ocorreram nos municípios de Itamaraju (3), Amargosa (2), Itaberaba (2), Maracani (1), Prado (1) e Ruy Barbosa (1). Mais pessoas podem ter ido a óbito por problemas relacionados às tempestades, já que a Sudec ainda busca contato com algumas prefeituras. Há ainda 15.199 desalojados e cerca de 220 mil pessoas tiveram a vida afetada de alguma maneira pela tragédia. 51 municípios estão em estado de emergência.

Também nesta segunda, o governador da Bahia, Rui Costa (PT), anunciou o envio de um projeto de lei para a Assembleia Legislativa Estadual que cria uma linha de crédito para comerciantes que tiveram perdas com a situação, além da cobrança de tarifa mínima no pagamento da conta de água e recursos para a construção e o reparo de casas, em parceria com as prefeituras. Costa anunciou ainda a criação de um gabinete de crise, que ficará localizado na cidade de Itamaraju, uma das mais atingidas. “Já temos um centro de emergência montado e vamos transformá-lo em um gabinete de crise, com a instalação de diversas secretarias de Estado. Por isso, vamos requerer um espaço mais amplo para ter secretarias como a de Desenvolvimento Urbano e a de Infraestrutura. Então, vamos montar uma extensão das secretarias de Estado no Extremo Sul para atuar in loco e mais rapidamente”, disse o governador baiano.