Com pandemia, cartórios brasileiros registraram mais de 1,4 milhão de mortes em 2020

Com alta de 8,6% em registros de óbito, Brasil viveu ano mais mortal de sua história

  • Por Jovem Pan
  • 18/01/2021 15h23
EDMAR BARROSFUTURA PRESSESTADÃO CONTEÚDOApenas em 2020, 194.949 brasileiros morreram por complicações da Covid-19

O número de mortes registradas pelos cartórios disparou em 2020, quando a pandemia de Covid-19 atingiu o Brasil. De acordo com os dados do Portal da Transparência, no último ano foram contabilizados 1.446.871 milhão de óbitos, um crescimento equivalente a 8,6% em relação a 2019, que apresentou 1,9% de alta na média anual de registros de óbito. A grande quantidade de histórias perdidas deixou uma marca escura nos últimos doze meses, levando o país a viver o ano mais mortal de toda sua história em 2020 – desde o início da série histórica, em 1999, nunca morreram tantos brasileiros no período entre janeiro e dezembro.

A pandemia do novo coronavírus elevou consideravelmente a quantidade de mortes, sendo responsável por 194.949 registros em 2020. No entanto, apesar de sua gravidade, não configurou-se como a principal causa dos óbitos na população. Além da Covid-19, no último ano, 284.117 pessoas morreram por doenças cardíacas. Em comparação com 2019, também houve alta de 34,9% nos registros de mortes por doenças respiratórias em geral, atingindo a marca de 596.678 casos.

A angústia frente à pandemia fez com que muitas pessoas reduzissem a frequências de visita aos hospitais e consultas médicas. Desta forma, a mudança de comportamento também pode ser percebida nos registros de óbito, já que disparou a quantidade de mortes em domicílio, com uma alta de 22,2% em comparação com 2019. Segundo os atestados assinados por médicos, 9.311 brasileiros morreram dentro de suas casas em decorrência da Covid-19, assim como houve alta de 26,9% em mortes por causas cardíacas e alta de 26,3% em óbitos causados por Acidente Vascular Cerebral (AVC) fora dos hospitais.