Contas de bolsonaristas no Twitter são suspensas internacionalmente após decisão de Moraes

Em resposta, a empresa de tecnologia informou que considera a ordem “desproporcional” e que vai recorrer da decisão

  • Por Jovem Pan
  • 30/07/2020 21h17 - Atualizado em 30/07/2020 21h43
Danilo Yoshioka/Estadão CnteúdoO ministro Alexandre de Moraes já havia determinado a suspensão destas contas no Brasil

O ministro Alexandre de Moraes mandou bloquear internacionalmente os perfis de alguns apoiadores do presidente Jair Bolsonaro no Twitter nesta quinta-feira, 30. Perfis de políticos, influenciadores e empresários estão envolvidos na decisão, entre eles o de Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, Sara Giromini, conhecida como Sara Winter, o presidente do PTB, Roberto Jefferson, entre outros. Todos eles estão sob investigação no âmbito das fake news.

Na última sexta-feira, 24, Moraes determinou a suspensão destas mesmas contas no Brasil. No entanto, os bolsonaristas mudaram a localização de seus perfis para locais fora do país e seguiram com as publicações na rede social. Os nomes atingidos pela ordem tinham sido alvos de busca e apreensão em maio. Na época, o ministro havia determinado o bloqueio das redes sociais de 16 investigados no inquérito das fake news, que apura a disseminação de informações falsas e ameaças a ministros.

A assessoria do Twitter confirmou à Jovem Pan que fez o bloqueio das contas para cumprir a judicial proveniente de inquérito do Supremo Tribunal Federal , mas considera a decisão “desproporcional sob a ótica do regime de liberdade de expressão vigente no Brasil” e vai recorrer. A empresa ainda disse que não cabe a ela “defender a legalidade do conteúdo postado ou a conduta das pessoas impactadas pela referida ordem.”

No sábado, após a primeira suspensão da conta, Roberto Jefferson chegou a usar o perfil da filha, a ex-deputada federal Cristiane Brasil, para se pronunciar. “Alexandre, não temo sua tirania!”, escreveu o presidente do PTB. Ele não foi o único que encontrou outros meios para falar. Luciano Hang usou seu perfil do Instagram para dizer que “jamais atentou contra o Supremo Tribunal Federal”. O empresário também fez um vídeo para falar sobre o inquérito e sobre o uso de contas em outras redes sociais. Além de Roberto Jefferson, Luciano Hang e Sara Giromini, o blogueiro Allan dos Santos e Bernardo Küster também foram atingidos.