CoronaVac atinge número mínimo de infectados e avança para etapa final antes da aprovação da Anvisa

Pelo menos 61 voluntários já contraíram a Covid-19; estudos foram abertos e estão em análise

  • Por Jovem Pan
  • 23/11/2020 12h59 - Atualizado em 23/11/2020 13h34
Instituto Butantan/DivulgaçãoExpectativa é de que a vacinação aconteça já em 2021 através do PNI

O governo do Estado de São Paulo anunciou, nesta segunda-feira, 23, que a CoronaVac, potencial vacina contra a Covid-19 do Instituto Butantan com o laboratório Sinovac, entrou na última etapa antes da aprovação da Anvisa. O número mínimo de infectados pelo coronavírus, 61 voluntários, foi atingido na última semana — o que possibilitou a abertura dos estudos para comprovação da eficácia. Esse resultado deve ser conhecido já na primeira semana de dezembro. De acordo com o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, essa é a vacina mais próxima de estar disponível aos brasileiros.

Pelo menos 74 voluntários já contraíram a Covid-19 — agora, vai se descobrir quem tomou o imunizante e quem tomou placebo para determinar sua eficácia na produção de anticorpos. Essa análise já foi iniciada. Assim que os estudos forem divulgados, eles serão encaminhados para a Anvisa e ao órgão equivalente da China para reconhecimento e chancela das agências reguladoras. No Brasil, ao contrário dos Estados Unidos, não existe “uso emergencial” da vacina. O que seria possível, dentro das regras sanitárias, seria uma aceleração do processo normal.

A expectativa é de que 46 milhões de doses da CoronaVac estejam disponíveis no Brasil já no fim de dezembro, aguardando apenas a liberação da Anvisa para aplicação. A intenção é de que ela integre o Programa Nacional de Imunização (PNI) para que chegue a todos os brasileiros. O governador do Estado, João Doria, escolheu não participar dos anúncios de hoje por se tratar de um assunto relacionado à ciência. Na última quinta-feira (18), 120 mil doses chegaram a São Paulo e estão armazenadas em local secreto. Na próxima semana devem chegar os insumos para que outras 40 milhões de doses sejam produzidas no Instituto Butantan.

O Estado de São Paulo tem nesta segunda-feira, 23, 1.210.625 casos confirmados da Covid-19 e 41.276 óbitos pela doença. A taxa de ocupação das UTIs está em 47,4% no Estado e em 55,2% na Grande São Paulo. O número de internados está em 3.871 em UTI e 5.089 em enfermaria — entre casos confirmados e suspeitos. De acordo com a equipe de Saúde, os dados dessa semana ainda não permitem uma análise robusta sobre a dinâmica da pandemia. “Precisamos aguardar os dados que estão sendo inseridos [após falhas no sistema do Ministério da Saúde] para que seja uma análise mais clara, efetiva e segura”, garantiu o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn. As internações apresentaram um aumento de 17% em relação aos da semana epidemiológica anterior, enquanto o número de casos tiveram queda de 8,4%.