Covid-19: Anvisa é informada sobre suspensão de vacina da Johnson & Johnson

Testes do imunizante foram interrompidos após doença em participante no exterior; no Brasil, 12 voluntários fizeram parte do estudo

  • Por Jovem Pan
  • 13/10/2020 17h31 - Atualizado em 13/10/2020 17h39
EFE/EPA/RONALD WITTEKEstudo da vacina poderá retornar após investigação aprofundada

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recebeu nesta terça-feira, 13, um comunicado da Janssen-Cilag, a divisão farmacêutica da Johnson & Johnson, informando a interrupção temporária do estudo que investiga a segurança da vacina VAC31518COV3001 contra a Covid-19. Segundo a empresa, a paralisação aconteceu devido a um “grave evento adverso”, ou seja, por conta da manifestação de uma doença em um voluntário no exterior. Ainda não foram divulgados maiores detalhes sobre o estado de saúde do participante, já que o caso corre em sigilo. O estudo deve permanecer interrompido até que o Comitê Independente de Segurança realize uma investigação de maior profundidade.

No Brasil, até o momento, 12 voluntários já participaram do estudo recebendo a dose da vacina ou do placebo. O primeiro deles foi incluído em 9 de outubro e novos voluntários poderão ser incluídos na pesquisa apenas quando houver a autorização da Anvisa, que decidirá pela continuidade ou interrupção permanente do estudo clínico com a análise dos dados obtidos pela investigação. Entre as instituições que participam do teste da Janssen estão os hospitais de Clínicas de Porto Alegre e o Conceição. Com a suspensão do teste da vacina Jansen-Cilag, seguem em desenvolvimento três imunizantes com os estudos clínicos aprovados, sendo eles as vacinas de Oxford (produzida pelo laboratório AstraZeneca e pela Universidade de Oxford), Sinovac (desenvolvida pela empresa Sinovac Research & Development Co. Ltd., em parceria com o Instituto Butantan) e a BioNTech e Wyeth/Pfizer (elaborada a partir da parceria entre as empresas Pfizer e BioNTech).