Diretor do Procon-SP dá dicas para se prevenir de golpes na Black Friday

Em entrevista ao Morning Show, Fernando Capez alertou para sites falsos, descontos maquiados, políticas de troca e arrependimento em compras online

  • Por Jovem Pan
  • 26/11/2021 12h33
Reprodução/Jovem PanFernando Capez foi o convidado do programa Morning Show desta sexta-feira, 26

Nesta sexta-feira, 26, o programa Morning Show, da Jovem Pan, recebeu o diretor do Procon-SP Fernando Capez. Em clima de Black Friday, ele deu dicas para não cair em golpes em compras online, como atentar-se à reputação e aos endereços das empresas. “Cuidado com sites falsos, sites maquiados, cópias de sites verdadeiros ou empresas que acabaram de ser criadas só para golpes da Black Friday. Procure checar qual é o endereço que está no site, tem que ter o endereço. Veja se é uma casa, uma residência, um número que não bate, uma construção no meio do matagal. Na dúvida, entre no site do Procon e cheque a reputação, tem uma lista de 150 empresas picaretas que estão ali, péssimas no pós-venda e golpistas”, alertou.

É comum também a preocupação de estar sendo enganado quanto ao valor do desconto, com preços que aumentam consideravelmente dias antes da Black Friday para que na data mantenham o valor original, como uma oferta forjada. Sobre isso, Capez esclareceu sobre os métodos de prevenção e denúncia que o Procon organizou para amparar o consumidor. “Cuidado com o desconto maquiado, a famosa metade do dobro. Se concentre no preço, não no percentual do desconto. Tome cuidado, porque no preço às vezes tem aquelas cláusulas, como frete. É uma prática abusiva, ela [a loja] está vendendo pelo mesmo preço. Ela vai ser multada. Nós temos os dados dos preços que eram antes. O consumidor tem que olhar o preço global, se o fornecedor está criando um preço falso, o Procon vai multar”, disse, alertando também para a procura do valor do mesmo produto em lojas concorrentes: “Faça uma pesquisa extensiva, tem diferença de até 100% de um local para outro.”

O diretor do Procon-SP também orientou sobre os direitos do consumidor na política de troca de compras. “O fornecedor não é obrigado a trocar, tem que analisar a política de troca da loja. A empresa que se recusa a trocar, de fato, não é obrigada, mas é um péssimo empreendedor e entra na nossa lista de fornecedores que não respeitam o consumidor.” Porém, quando a compra é realizada na internet, segundo Capez, as circunstâncias são diferentes. “Você tem direito ao arrependimento se você fizer uma compra à distância ou online. Em até 7 dias do recebimento do seu produto, você pode mudar de ideia, desfazer a venda e receber o seu dinheiro de volta.” Para entrar em contato com o Procon-SP, o consumidor poderá acessar o site online. É possível também encaminhar a denúncia presencialmente em postos do órgão, localizados em sedes nos municípios do interior, no 18º Distrito Policial da Mooca e em postos de atendimento de Poupatempos.

Confira na íntegra a entrevista com Fernando Capez, diretor do Procon-SP: