Diretoria da Anvisa vota novo pedido de uso emergencial da CoronaVac nesta sexta-feira

Agência avalia o processo de envase da vacina, pelo Instituto Butantan, em frasco-ampola multidose

  • Por Jovem Pan
  • 21/01/2021 20h28 - Atualizado em 21/01/2021 21h31
Luis Lima/Estadão Conteúdo - 08/01/2021SP - ANVISA/COVID19 - GERAL - A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recebeu o pedido de uso emergencial da CoronaVac, vacina contra a Covid-19 produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, na manhã desta sexta-feira (8). A agência pretende fazer a análise do uso emergencial em até 10 dias. 08/01/2021 - Foto: LUIS LIMA JR/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Nesta quinta-feira, 21, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou que analisará em reunião da Diretoria Colegiada o segundo pedido de uso emergencial da vacina CoronaVac, feito pelo Instituto Butantan. No início da semana a agência informou que tinha encerrado o processo de triagem dos documentos para a nova aquisição. A reunião extraordinária está marcada para as 15h (horário de Brasília) desta sexta-feira, 22. A decisão será transmitida pelos canais digitais da Anvisa. A decisão entra em vigor a partir do momento que a Anvisa se comunicar oficialmente ao laboratório e será publicada no portal da agência. Não há necessidade de publicação no Diário Oficial da União. 

O primeiro pedido de uso emergencial tratava das vacinas importadas prontas e envasadas em monodose (suspensão aquosa injetável, 0,5 mL/dose). Este segundo pedido trata do envase, pelo Instituto Butantan, da vacina em frasco-ampola multidose. Ou seja, as principais diferenças do primeiro pedido para este são que o segundo trata de vacinas envasadas no próprio Butantan e em uma embalagem diferente, o frasco-ampola multidose.