Duas crianças morrem por sarampo em SP, diz Ministério da Saúde

Vítimas foram uma menina de quatro meses e um garoto de nove

  • Por Jovem Pan
  • 30/08/2019 20h48 - Atualizado em 31/08/2019 14h18
Marcelo Camargo/Agência BrasilA pasta alerta que segue vacinando bebês entre 6 meses e um ano, faixa etária considerada a mais vulnerável a óbitos

O Ministério da Saúde confirmou, nesta sexta-feira (30), mais duas mortes por sarampo em São Paulo: uma menina de quatro meses, residente de Barueri; e um garoto de nove meses, residente na capital.

Na última terça-feira (27), foi registrado o primeiro óbito desde 1997, um homem de 42 anos, sem histórico de imunização contra a doença.

Em vista disso, a pasta alerta que segue vacinando bebês entre 6 e 11 meses e 29 dias de idade. A vacinação acabaria neste sábado (31), mas a pasta decidiu prorrogar nos Centro de Educação Infantil e creches da capital paulista até atingir a meta de 95% de cobertura vacinal. Esta faixa etária é considerada a mais vulnerável a casos graves e óbitos, e representa cerca de 13% do total de ocorrências contabilizadas no Estado.

A aplicação da chamada “dose zero” visa proteger as crianças e não será contabilizada no calendário nacional de vacinação, ou seja, os pais ou responsáveis também deverão levar os filhos aos postos para receber a tríplice viral aos 12 meses, e aos 15 meses para aplicação do reforço com a tetraviral, que protege também contra varicela.

A recomendação para as mães de crianças com idade inferior a 6 meses é evitar exposição a aglomerações, manter higienização adequada, ventilação adequada de ambientes, e sobretudo que procurem imediatamente um serviço de saúde diante de qualquer sintoma da doença, como manchas vermelhas pelo corpo, febre, coriza, conjuntivite, manchas brancas na mucosa bucal.

Os municípios devem ainda seguir realizando ações de bloqueio diante da notificação de casos da doença. Além disso, as pessoas que tiverem dúvidas quanto à imunização adequada podem procurar um posto de vacinação, de preferência com a carteira vacinal, para que um profissional de saúde verifique a necessidade de aplicação da dose.

Quem deve tomar a vacina

O Programa Estadual de Imunização prevê que crianças e adultos, com idade entre um ano a 29 anos, devem ter pelo menos duas doses da vacina contra o sarampo. Acima desta faixa, até 59 anos, é preciso ter pelo menos uma dose. Não há indicação para pessoas com mais de 60 anos, pois esse público potencialmente teve contato com o vírus, no passado.

O Centro de Vigilância Epidemiológica estadual realiza monitoramento contínuo da circulação do vírus. Neste ano, até o momento, há 2.457 casos confirmados no Estado; destes, 66,6% se concentram na capital, com 1.637 casos.

Quais são os principais sintomas

Os principais sintomas do sarampo são irritação nos olhos, conjuntivite, corrimento no nariz, manchas brancas na parte interna da bochecha, mal estar, tosse persistente e manchas vermelhas na pele. A recomendação é que se vá para um hospital ou posto de saúde assim que começarem os primeiros sintomas. Quando a pessoa é infectada, pode demorar até 10 dias para que eles comecem a aparecer. Nesse período, o sarampo já pode ser transmitido.