Estado de SP voltará para fase vermelha durante o Natal e Ano Novo

Governo irá permitir apenas serviços essenciais entre os dias 25 a 27 de dezembro e 1 a 3 de janeiro; Presidente Prudente, no interior, ficará na fase vermelha por tempo indeterminado

  • Por Jovem Pan
  • 22/12/2020 13h15 - Atualizado em 22/12/2020 14h31
LEANDRO FERREIRA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO - 24/11/2020São Paulo endurece quarentena com proximidade de festas e retorna para fase vermelha do Plano SP

Todo o estado de São Paulo irá regredir para a fase vermelha, a mais restrita do Plano São Paulo, entre o Natal e ano novo para evitar a disseminação da pandemia do novo coronavírus. Entre os dias 25 a 27 de dezembro e 1 a 3 de janeiro, só poderão funcionar serviços essenciais, como supermercados, padarias e farmácias. Outros tipos de estabelecimento, como comércio em geral, bares e restaurantes, não poderão funcionar no período. A decisão foi tomada após reunião do Centro de Contingência no Palácio dos Bandeirantes entre o governador João Doria (PSDB) com auxiliares do governo. O colegiado também determinou que a região de Presidente Prudente, no interior do estado, ficará por tempo indeterminado na fase vermelha por superar o nível de 80% de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O restante do estado deve retornar para a atual fase amarela após o período previsto.

A próxima classificação do plano de contingência será divulgada no dia 7 de janeiro, mas o governo já adiantou que nenhuma região do estado passará para a fase verde, menos restritiva que a amarela, em janeiro. Os auxiliares de Doria também afirmaram que o regresso de outras partes do estado para a fase vermelha depende da evolução da pandemia, e que os dados são acompanhados todos os dias. Segundo o governo, as regiões de Registro, Sorocaba e área metropolitana da capital, em especial os municípios do ABC, foram as que mais registraram aumento na ocupação de leitos de UTI nas últimas semanas. O governo também anunciou acordo entre as forças de segurança para coibir festas ilegais durante os períodos de Natal e réveillon.

Em uma semana, o estado registrou aumento de 3% nos casos, 6% dos óbitos e uma leve queda de 1% nas internações. Quando comparado com o último mês, os casos tiveram incremento de 54%, os óbitos registraram alta de 34% e as internações, 13%. Dados da secretaria de Saúde apontavam que até esta segunda-feira, 21, o estado de São Paulo havia registrado 45.136 óbitos e 1.388.043 casos confirmados do novo coronavírus. As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 66,9% na Grande São Paulo e 61,8% no Estado. O número de pacientes internados é de 10.856, sendo 6.146 em enfermaria e 4.710 em unidades de terapia intensiva. Hoje, os 645 municípios têm pelo menos uma pessoa infectada, sendo 603 com um ou mais óbitos.