Gafanhotos que atingem lavouras do RS não são danosos, diz estudo

Análise dos animais que infestam plantações nas cidades de Santo Augusto, São Valério do Sul e Bom Progresso foi divulgada nesta quarta-feira, 2

  • Por Jovem Pan
  • 02/12/2020 20h48
Entomologia/Ufpel/DivulgaçãoAnimal da especie Zoniopoda iheringi não representa ameaça às lavouras

A Secretaria de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural do Rio Grande do Sul divulgou nesta quarta-feira, 2, nota técnica afirmando que as duas espécies de gafanhotos encontradas em lavouras dos municípios de Santo Augusto, São Valério do Sul e Bom Progresso são consideradas como de “ocorrência esperada” e causadas pelo clima seco e falta de chuvas da região no verão. A análise dos animais, feita pela professora Dra. Kátia Matiotti, da PUC-RS, mostra que os bichos são adultos das espécies Zoniopoda iheringi e ninfas de Chromacris speciosa, que não têm hábitos migratórios e não causam, a princípio, pragas de importância agrícola.

As espécies continuam sendo estudadas no laboratório da Universidade Federal de Santa Maria. Segundo o órgão, levantamentos sobre um possível desequilíbrio nas populações são realizados pelas equipes, que também atuam para delimitar as ocorrências e buscam alternativas para controlar as infestações.Os produtores nas regiões atingidas pelos gafanhotos foram orientados a não realizar medidas preventivas para tentar conter as infestações, já que essas podem aumentar desequilíbrio da espécie e agravar danos no futuro.