Governo de SP inicia testagem da CoronaVac na terça-feira

Nove mil voluntários serão testados em 12 centros de pesquisa em seis estados

  • Por Jovem Pan
  • 20/07/2020 12h48 - Atualizado em 20/07/2020 13h23
Tânia Rêgo/Agência BrasilParte das doses da vacina chinesa que será testada no Brasil contra o coronavírus chegaram a São Paulo na madrugada

O Governo do Estado de São Paulo anunciou nesta segunda-feira (20) que os testes com a CoronaVac, a potencial vacina produzida em parceria do laboratório chinês Sinovac e o Instituto Butantan, começam na terça-feira (21). Parte das doses da vacina chinesa que será testada no Brasil contra o coronavírus chegaram a São Paulo na madrugada e aguardam liberação no aeroporto de Cumbica, em Guarulhos.

As 20 mil doses que chegaram na capital paulista nesta segunda devem ser utilizadas a partir da terça em cerca de 890 voluntários — médicos e paramédicos — no Hospital das Clínicas. Quem receber as doses deverá ser monitorado a cada duas semanas pelos pesquisadores. A previsão é que os primeiros resultados saiam em 90 dias. Pesquisadores internacionais poderão acompanhar os testes, garantindo transparência em todo o andamento.

“Um grande dia para ciência brasileira. Dia de esperança para milhões de brasileiros e pessoas de outros países que também receberão doses da CoronaVac“, disse o governador João Doria. Se tudo der certo, a vacina contra o coronavírus será produzida no inicio de 2021 e distribuída para todo o país, de forma gratuita, através do SUS.

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, disse acreditar que o Brasil está em uma posição de expectativa não só para os brasileiros, mas para o mundo. “Podemos ter aqui a primeira vacina a ser usada em massa. E essa perspectiva, em termos temporais, é muito favorável. Estamos no meio de uma epidemia, temos muito casos e é um cenário ideal para testá-la.” Ele declarou que a CoronaVac é a vacina mais avançada em termos de histórico.

O Estado de São Paulo tem nesta segunda 416.434 casos confirmados de Covid-19 e 19.788 óbitos. A taxa de ocupação das UTIs, no Estado, é de 66,8%. Na Grande São Paulo esse número é de 64,9%. Entre os internados, confirmados e suspeitos, 5.852 estão em UTI e 8.746 estão em enfermaria. Os números estão dentro das expectativas projetadas para a segunda quinzena de julho.

Serão 12 centros de pesquisa em seis estados que vão testar a CoronaVac nos 9 mil voluntários. Em São Paulo, são: Centro de Pesquisas Clínicas do Instituto Central do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein, Instituto de Infectologia Emílio Ribas, Medicina da Universidade Municipal de São Caetano do Sul, Hospital das Clinica da Unicamp, Faculdade de Medicina de Rio Preto e Centro de Saúde Escola da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP.

Fora de São Paulo estão o Núcleo de Medicina Tropical da UNB (Brasília), Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas – Fiocruz (Rio de Janeiro), Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Fármacos da UFMG (Minas Gerais), Hospital São Lucas da PUC-RS (Rio Grande do Sul) e Hospital das Clínicas da UFPR (Paraná).