Grupo hacker português reivindica ataque a 61 sites brasileiros em 2020

Dentre os alvos, estão o site do TSE e sistemas do Ministério da Saúde, o que dificultou a divulgação de dados da Covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 25/11/2020 17h05 - Atualizado em 25/11/2020 18h25
Reprodução/Google Street ViewSistema do Ministério da Saúde está entre os alvos do grupo Cyberteam.

O grupo hacker português Cyberteam reivindicou a autoria de ataques a 61 sites brasileiros no dia do primeiro turno das eleições municipais, incluindo o do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e a sistemas do Ministério da Saúde, o que prejudicou a divulgação de dados sobre a Covid-19. Além disso, na lista de alvos do grupo estão prefeituras, câmaras, departamentos de trânsito, pequenas empresas e escritórios de advocacia. Desde 2017, foram realizados 140 ataques diferentes.

Os investigadores do caso trabalham em uma linha que indica o envolvimento de radicais ligados a núcleos bolsonaristas no ataque. O líder do grupo, conhecido como Zambrius, diz ter agido sozinho munido apenas de um celular. Ele está em prisão domiciliar em Portugal. As informações sobre as ações do grupo ficam em um arquivo na internet onde os invasores anexam comprovações de seus feitos. As apurações estão sendo feitas pelo TSE e pelo Ministério Público Federal (MPF). Também existe um inquérito na Polícia Federal.

*Com informações do Estadão Conteúdo