Guedes diz que Brasil terminará 2020 sem perder empregos formais

Afirmação foi feita pelo comandante da pasta nesta sexta-feira, 11, durante uma audiência na Comissão Mista do Congresso Nacional, que acompanha a execução das medidas de enfrentamento da pandemia

  • Por Jovem Pan
  • 11/12/2020 17h43 - Atualizado em 11/12/2020 18h08
CLÁUDIO MARQUES/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOMinistro também disse que campanha de vacinação em massa custaria cerca de R$ 20 bilhões.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, voltou a afirmar que o Brasil terminará o ano de 2020 sem perder empregos formais ao longo do ano, minimizando possíveis impactos da pandemia de Covid-19 no mercado de trabalho. A afirmação foi feita pelo comandante da pasta nesta sexta-feira, 11, durante uma audiência na Comissão Mista do Congresso Nacional que é responsável por acompanhar a execução das medidas de enfrentamento da pandemia. “O Brasil vai chegar ao fim do ano perdendo zero empregos formais, zero. O Produto Interno Bruto (PIB) cairá entre 3,5% e 4,0% em 2020, e o natural seria perder 1 milhão de empregos, mas desde agosto temos registrados saldos positivos no mercado de trabalho. A economia brasileira realmente voltou em V”, comemorou Guedes.

Além disso, durante sua fala, Guedes disse que mesmo o setor de serviço, que foi o mais afetado pela pandemia de Covid-19 ao longo dos últimos meses, voltou a mostrar avanços. “E já há muitos setores muito além do que estiveram antes da pandemia”, continuou o ministro. Além disso, Guedes também afirmou que uma campanha de vacinação em massa no Brasil custaria cerca de R$ 20 bilhões. “Gasto primário de combate à pandemia chegou a R$ 599,5 bilhões até agora, equivalentes 8,5% do Produto Interno Bruto (PIB). Se formos partir para campanha de vacinação em massa, deve ser mais ou menos mais R$ 20 bilhões”, afirmou o comandante da pasta.