Hospital privado de SP registra número recorde de atendimentos de síndrome gripal

Internações por coronavírus aumentaram em 79% dos hospitais privados da capital nos últimos 15 dias; em nota, HCor disse que números são o triplo do registrado em abril, início da pandemia no Brasil

  • Por Carolina Fortes
  • 02/12/2020 20h57 - Atualizado em 03/12/2020 16h47
FERNANDA LUZ/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDOSegundo a FioCruz, Estado de São Paulo ainda está na zona de risco para o nível de casos de SRAG

O volume de atendimentos de pacientes com síndrome gripal nas últimas duas semanas no hospital HCor, localizado no bairro Paraíso, em São Paulo, foi quase o triplo do registrado no mês de abril, início da pandemia da Covid-19 no Brasil. Segundo boletim divulgado nesta quarta-feira, 2, pela instituição, o volume de atendimentos no pronto-socorro no mês de novembro foi o maior da história do hospital, chegando a 4,8 mil pacientes, sendo 2,3 mil com síndrome gripal. O último boletim de monitoramento semanal Infogripe, divulgado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) nesta quarta e referente aos dias 22 e 28 de novembro, indica que o Estado de São Paulo ainda está na zona de risco para o nível de casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG), com uma atividade semanal muito alta, de aproximadamente 7.08, em uma escala de 11. Dentre casos positivos para algum vírus respiratório, 97,7% representam infecção pelo vírus SARS-CoV-2, responsável pela Covid-19.

As internações por coronavírus aumentaram em 79% dos hospitais privados de São Paulo nos últimos 15 dias, segundo um levantamento realizado pelo Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo (SindHosp). Atualmente, a ocupação média dos leitos de UTI destinados aos pacientes com o coronavírus é de 84%. Ou seja, 40% dos leitos de UTI disponíveis estão sendo destinados para atendimento à Covid-19. De acordo com o HCor, nos últimos dias, o aumento de pacientes internados em UTIs e Unidades de Internação foi de 34%. Já a média móvel dos últimos dias foi de 50,7. No dia 10 de novembro, este número era de 30 e, um mês antes, de 19. No último levantamento do SindHosp, feito entre 16 e 29 de novembro, 44,5% dos hospitais haviam respondido que tiveram aumento das internações pelo novo coronavírus. Segundo dados da Prefeitura de São Paulo, a cidade tem hoje 409.833 casos confirmados da doença – 6.049 a mais do que ontem. Considerando as últimas duas semanas, o aumento foi de 7%.

Com limitações no funcionamento do comércio e serviços, o Estado de São Paulo retornou para a fase amarela do plano São Paulo de flexibilização. Ao todo, seis regiões, incluindo a capital paulista, regrediram da fase verde, enquanto outras 11 regiões já se encontravam na fase amarela, que passa a valer para todo o estado. Após mais de dois meses, o Estado de São Paulo voltou a registrar mais de 10 mil internados por Covid-19, sendo 44% a mais em relação ao mês passado.