‘Inaceitável’, diz Doria sobre declaração de Bolsonaro contra morto na Ditadura

Presidente afirmou que Fernando Santa Cruz havia sido assassinado pela “própria esquerda”

  • Por Jovem Pan
  • 29/07/2019 18h35
Flavio Corvello/Estadão ConteúdoVítima do regime é pai do atual presidente da OAB, Felipe Santa Cruz

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), reagiu às declarações dadas hoje pelo presidente Jair Bolsonaro, sobre o pai do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, morto durante a Ditadura militar.

“Sou filho de um deputado cassado pela ditadura, que foi para o exílio e perdeu quase tudo durante esse período. Inaceitável. Foi uma declaração infeliz do presidente Bolsonaro“, afirmou Doria durante coletiva.

O pai do governador, João Agripino da Costa Doria Neto, foi eleito deputado suplente e assumiu uma cadeira na Câmara em 1963. Por ter sido apoiador do então presidente João Goulart, foi colocado na lista de punições do Ato Institucional Nº 1 em 1964, e teve seu mandato cassado. Se exilou em Paris e retornou ao Brasil em 1974.

Mais cedo, Bolsonaro havia dito que Fernando Augusto de Santa Cruz Oliveira, pai de Felipe, não teria sido morto pelos militares na Ditadura. O presidente disse que sabia da história de Oliveira e que a contaria ao atual presidente da OAB “um dia, se ele quiser saber”. Mas se antecipou e disse que “ele não vai querer ouvir a verdade”. Logo em seguida, ele voltou a tratar do assunto em uma transmissão de vídeo e disse que o suposto crime teria sido feito “pela própria esquerda”.

No Twitter, Felipe rebateu a fala do presidente. “O mandatário da República deixa patente seu desconhecimento sobre a diferença entre público e privado, demostrando mais uma vez traços de caráter graves em um governante: a crueldade e a falta de empatia” escreveu. “É de se estranhar tal comportamento em um homem que se diz cristão.”

Com Estadão Conteúdo