Influenciadora sente dores e descobre que foi dopada e estuprada em rodeio no interior de SP

Franciane Andrade passou por exames de corpo de delito e registrou boletim de ocorrência; delegacia de Jaguariúna investiga o caso

  • Por Jovem Pan
  • 01/12/2021 14h02 - Atualizado em 01/12/2021 14h07
Reprodução/Instagram/@francineandradeeFranciane Andrade relatou ter sido dopada durante o evento em Jaguariúna

Após sentir dores, a influenciadora digital Franciane Andrade, de 23 anos, descobriu ter sido dopada e estuprada no festival de rodeio de Jaguariúna, no interior de São Paulo, no último final de semana. A estudante fez o relato em uma série de stories no Instagram nesta terça-feira, 30, e contou que já procurou a polícia e realizou exames no Instituto Médico Legal (IML) de Mogi Guaçu, onde mora. “Já chorei muito. Não sei como contar isso aqui. Eu acabei de correr atrás de B.O, fui no IML aqui de Mogi Guaçu, fiz o exame, o doutor do IML constatou que realmente houve estupro e ele não sabe me dizer se foi um, dois ou três [homens]”, disse Franciane, visivelmente abalada. “Eu soube hoje. Eu não sabia que eu tinha sido violentada. Comecei a sentir dor ontem à noite”, relatou.

A influenciadora afirmou que pagou “um dos camarotes mais caros” do rodeio para ter mais segurança. “Jaguariúna tem que se responsabilizar por isso. Eles têm que entrar em contato comigo”, disse. “Amanhã será mais um dia de exames, delegacia e esclarecimentos. A palavra não basta, é preciso mostrar, provar. Estou muito cansada. Não quero ficar marcada por isso, não quero mais ouvir minha mãe chorando e perguntando ‘por quê?’ Tudo isso é um pesadelo”, concluiu. A Jovem Pan entrou em contato com a organização do Jaguariúna Rodeo Festival e aguarda retorno. Em nota, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo confirmou que o caso foi registrado pela Delegacia da Mulher de Mogi Guaçu e encaminhado para a Delegacia de Jaguariúna para continuidade das investigações. “Diligências estão em andamento para esclarecer os fatos. Outros detalhes não podem ser divulgados devido à natureza do crime”, disse a pasta.