Justiça concede regime semiaberto para Lindemberg Alves, condenado pelo assassinato de Eloá

Avaliadores consideram que ele estaria ‘apto à usufruir do regime intermediário’; com a mudança, condenado terá direito a cinco saídas temporárias no ano

  • Por Jovem Pan
  • 09/06/2021 21h39 - Atualizado em 09/06/2021 21h42
CLAYTON DE SOUZA/ ESTADÃO CONTEÚDOAssassinato de Eloá aconteceu em 2008

A Justiça concedeu regime semiaberto a Lindemberg Alves, condenado a 39 anos de prisão pela morte de Eloá Cristina, sua ex-namorada, em 2008. Ele cumpre pena na Penitenciária Doutor José Augusto Salgado em Tremembé. A decisão foi tomada pela juíza Sueli Zeraik de Oliveira Armani, da 1ª Vara das Execuções Criminais (VEC) de Taubaté, que, no despacho, afirmou que Lindemberg “obteve resultado positivo no exame criminológico realizado” e que os avaliadores consideram que ele estaria “apto à usufruir do regime intermediário”. O pedido da defesa de Lindemberg foi feito em setembro de 2020 e levou em conta o tempo de pena cumprido por ele. Ao todo, o condenado teve 313 dias de pena perdoados por trabalhar na penitenciária. No novo regime, Lindemberg terá direito a cinco saídas temporárias no ano, incluindo Dia dos Pais, Dia das Crianças e Natal. A decisão foi tomada em 11 de maio, mas a comunicação da transferência de regime foi enviada à Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) nesta terça-feira, 9.