Lázaro Barbosa morre em Goiás após ser capturado pela polícia

Foragido desde o dia 9 de junho, o criminoso foi morto após resistir à prisão; ele é suspeito de assassinar uma família inteira no Distrito Federal e de balear três pessoas em Cocalzinho de Goiás

  • Por Jovem Pan
  • 28/06/2021 10h47 - Atualizado em 28/06/2021 15h43
Eduardo Bolsonaor/Twitter/Montagem de fotos de reproduçãoLázaro Barbosa é procurado desde 9 de junho, quando matou um casal e seus dois filhos em Ceilândia, região administrativa do Distrito Federal

O criminoso Lázaro Barbosa, de 32 anos, suspeito de assassinar uma família numa área rural de Ceilândia Norte (DF) e de balear pessoas e manter reféns no município de Cocalzinho de Goiás (GO), foi morto na manhã desta segunda-feira, 28, após resistir à prisão, em Águas Lindas de Goiás. Nesta manhã, o governador do Estado, Ronaldo Caiado, havia divulgado a prisão de Lázaro. “Acabo de receber neste momento uma informação de todas as equipes que estão na região de Cocalzinho que o Lázaro foi preso”, disse governador em vídeo. Pouco tempo depois, no entanto, a morte de Lázaro foi confirmada à Jovem Pan pela Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO). Alexandre Ramagem, diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), também confirmou a morte pelas suas redes sociais e parabenizou a Polícia Militar do Goiás pelas diligências.

Em coletiva de imprensa, o secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, afirmou que nenhum policial ficou ferido diante da reação do suspeito, que foi encontrado no bairro de Setor Itamaracá, em Águas Lindas de Goiás, ao ir atrás de uma cunhada. “Ele na hora da abordagem descarregou a pistola nos policiais e não tivemos outra alternativa senão revidar”, disse. Lázaro foi socorrido com vida a um hospital da região, mas teria chegado morto no local. Segundo Miranda, além da arma, uma quantia de R$ 4,4 mil foi encontrada no bolso dele, o que seria mais uma prova de que outras pessoas estariam auxiliando o fugitivo e dificultando o trabalho das forças de segurança. A polícia ainda faz investigações e deve prender mais pessoas que auxiliaram Lázaro durante os dias de fuga, mas segundo a Secretaria de Segurança Pública, o principal suspeito de envolvimento com ele, um empresário, já foi detido.

Segundo a SSP, mais de 270 agentes das forças de segurança de Goiás, DF e federais participaram da operação. Entre elas, as Polícias Civil e Militar de Goiás e do Distrito Federal, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Diretoria Penitenciária de Operações Especiais (DF) e Corpo de Bombeiros Militar (CBMGO). As operações também contaram com o apoio de quatro helicópteros e cerca de 10 drones, inclusive aparelhos com visão noturna e sensor de calor. A força-tarefa também recebeu auxílio do Exército Brasileiro, que disponibilizou rádios comunicadores com alcance de 30 quilômetros, da Polícia Militar do Rio de Janeiro, que auxiliou com dois veículos para melhor comunicação das equipes, e da iniciativa privada, que colocou à disposição do serviço de inteligência o aplicativo Brasil Mais Seguro, destinado exclusivamente para denúncias sobre o suspeito. Na última quinta-feira, 24, duas pessoas foram presas suspeitas de auxiliar a fuga do fugitivo. O criminoso é acusado de assassinar quatro pessoas da mesma família no último dia 9 em uma chácara do Distrito Federal. Uma quinta vítima teria sido morta em Goiás. Ele ainda é investigado por balear três pessoas no dia 12 no município de Cocalzinho de Goiás, onde se concentraram as buscas. Lázaro já tem uma condenação por homicídio na Bahia e também é considerado como procurado no DF e em Goiás pelos crimes de roubo, estupro e porte ilegal de arma de fogo.