Maranhão registra seis casos da variante indiana da Covid-19, aponta instituto

Pacientes fazem parte da tripulação do navio Mv Shandong da Zhi, que está ancorado no Estado; são as primeiras pessoas contaminadas pela cepa no Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 20/05/2021 11h56 - Atualizado em 20/05/2021 17h39
Reprodução J Koun Marine TrafficDa tripulação, 15 passageiros testaram positivo para a Covid-19

O Instituto Evandro Chagas (IEC), órgão ligado à Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (SVS/MS), confirmou na quarta-feira, 19, os primeiros seis casos da variante indiana no Brasil. As ocorrências começaram a ser investigadas após a Secretaria de Saúde do Maranhão ser informada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), no sábado, 15, sobre a entrada de um homem indiano com sintomas da Covid-19 em um hospital da rede privada de São Luís. O paciente internado tem 54 anos e fazia parte da tripulação do navio Mv Shandong da Zhi, que está ancorado no Maranhão. Por conta disso, amostras de 24 passageiros foram encaminhadas ao Laboratório Central de Saúde Pública (LACEN/MA). Deste total, 15 mostraram-se positivas para a doença e destas, seis atenderam os critérios para uma investigação da linhagem viral. Então, as amostras seguiram para o Instituto Evandro Chagas, que realizou o sequenciamento genômico. Nas seis amostras analisadas foi identificada a sub-linhagem B.1.617.2.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) considerou que essa mutação é “preocupante em nível global” porque parece estar relacionada a maiores taxas de transmissão e resistência aos anticorpos, apesar de ainda serem necessários mais estudos para uma confirmação definitiva. O IEC ressalta que, embora sejam as primeiras pessoas contaminadas pela variante no Brasil, tratam-se de casos importados que estão sendo monitorados por órgãos competentes. O governo do Maranhão informou que a embarcação continua afastada da costa, em alto mar, na área de fundeio, com toda a tripulação em quarentena e isolada em cabines individuais. Na semana passada, o governo do presidente Jair Bolsonaro decidiu proibir voos internacionais com origem ou passagem pela Índia, país que enfrenta recordes nos números de casos e mortes por Covid-19. A proibição se soma a restrições da mesma natureza relativa a voos do Reino UnidoIrlanda do Norte e África do Sul.