Ministério da Saúde confirma que criança de Lençóis Paulista não teve reação adversa à vacina

Menina de 10 anos tem doença rara que não havia sido diagnosticada e a levou a sofrer parada cardíaca

  • Por Jovem Pan
  • 21/01/2022 20h06
Marcello Casal Jr/Agência Brasil Foto da fachada de um prédio na Esplanada Ministério da Saúde acompanha todos os possíveis casos de reações à vacina

O Ministério da Saúde confirmou nesta sexta, 21, que o caso de uma menina que teve uma parada cardíaca no mesmo dia em que tomou a primeira dose de uma vacina contra a Covid-19 não ocorreu por um efeito adverso do imunizante. A pasta corroborou a informação divulgada pelo Centro de Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo (CVE-SP), de que a garota de 10 anos tem uma doença rara, a síndrome de Wolff-Parkinson-White, que causa pré-excitação no eletrocardiograma, uma condição congênita que leva o coração a ter crises de taquicardia. “A síndrome de Wolff-Parkinson-White, até então não diagnosticada e desconhecida pela família, levou a criança a ter uma crise de taquicardia, que resultou em instabilidade hemodinâmica”, disse a pasta federal, citando a investigação do CVE.

O caso levou a prefeitura de Lençóis Paulista a interromper temporariamente a vacinação de crianças no município, até que fossem esclarecidas as razões que causaram a parada cardíaca. A menina foi visitada pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e pela ministra dos Direitos Humanos e da Família, Damares Alves, no hospital em que esteve internada, em Botucatu, e o presidente Jair Bolsonaro (PL) telefonou para a família. O Sistema de Vigilância Epidemiológica de Eventos Adversos Pós-vacinação informou que a criança foi imunizada com dosagem e técnica corretas. Ela teve o quadro revertido, está hospitalizada tem estado de saúde estável.