Moradores relatam filas e desabastecimento em postos de gasolina em Belo Horizonte

Alta procura por gasolina e álcool é consequência da greve dos tanqueiros, iniciada na noite de quinta-feira, 21; preço do litro da gasolina está perto dos R$ 7 em alguns locais da capital mineira

  • Por Jovem Pan
  • 22/10/2021 14h12
LUCAS PRATES/HOJE EM DIA/ESTADÃO CONTEÚDO - 22/10/2021Motoristas de Belo Horizonte têm enfrentado longas filas ou falta de combustíveis para abastecer nos postos de gasolina

Caminhoneiros responsáveis pelo transporte de combustíveis, os tanqueiros, iniciaram uma paralisação na noite desta quinta-feira, 21, em Minas Gerais. O medo do desabastecimento levou os moradores de Belo Horizonte a correrem para os postos de gasolina. A alta procura por gasolina e álcool levaram os motoristas a enfrentar filas de quarteirões e alta nos preços. Segundo relatos nas redes sociais, o preço do litro da gasolina está perto dos R$ 7 em alguns locais. Em nota, o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo do Estado de Minas Gerais (Minaspetro) afirma que todas as regiões do Estado estão sendo prejudicadas, tendo em vista que a base de Betim é estratégica para a distribuição de combustíveis estadual.

A categoria reclama da alta dos custos dos combustíveis da Petrobras e do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), tarifa cobrada pelos Estados. O sindicato informa que entrou em contato formalmente com o governo de Minas e solicitou que a pauta dos caminhoneiros fosse atendida. Uma das soluções apontadas pelo Sindicato é o congelamento do PMPF, base de cálculo para a incidência do ICMS. “O congelamento do preço de pauta conteria momentaneamente a escalada dos preços na bomba”, diz a Minaspetro, que pede para que a população não faça uma corrida aos postos, já que a essa ação pode causar e agravar o desabastecimento.

O sindicato ainda acrescentou que, apesar de ser solidário ao pleito dos caminhoneiros, acredita que a greve não é a melhor solução para o problema. Em suas redes sociais, o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), assegurou que o abastamento vai prosseguir. “Desde ontem a Polícia Militar está escoltando caminhões tanque em direção aos postos de combustíveis do Estado. Outras soluções também estão sendo viabilizadas para que não haja desabastecimento e que as pessoas possam trabalhar. No que depender do Governo de Minas, o abastecimento vai prosseguir”, escreveu.