MPF denuncia Sérgio Cabral e mais dois por corrupção passiva e ativa

Operador financeiro do ex-governador, Luiz Carlos Bezerra, e o dono da construtora Macadame, Maciste Granha de Mello Filho, são os outros denunciados

  • Por Jovem Pan
  • 16/09/2020 16h51
CASSIANO ROSÁRIO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOEx-governador Sergio Cabral está preso desde 2016 por diversos crimes

O Ministério Público Federal (MPF) apresentou uma nova denúncia contra o ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, seu operador financeiro, Luiz Carlos Bezerra, e o dono da construtora Macadame, Maciste Granha de Mello Filho, por corrupção passiva e ativa. Segundo a denúncia, os registros contábeis de Bezerra apreendidos na operação Calicute mostram que Maciste efetuou, entre os anos de 2011 e 2017, ao menos oito pagamentos à organização criminosa de Cabral, em valores entre R$ 25 mil e R$ 100 mil, totalizando mais de R$ 550 mil.

A construtora de Maciste tinha contratos com o Departamento de Estradas e Rodagens (DER/RJ) para executar obras estaduais. Somente nas obras da rodovia RJ-125 a empresa recebeu R$ 118 milhões. Os valores teriam sido pagos em espécie diretamente a Bezerra. “Como se vê, o denunciado Sérgio Cabral, no exercício do seu mandato como governador do Estado do Rio de Janeiro, solicitou, aceitou promessa e efetivamente recebeu vantagem indevida para exercer o seu cargo com especial atenção para os interesses privados do denunciado Maciste Granha de Mello Filho”, afirmam na denúncia os procuradores da força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro.

Maciste era vizinho de Sérgio Cabral e mantinha laços com outros membros da organização. Existem registros de participação do empresário em eventos sociais como o aniversário de Sérgio de Castro Oliveira, outro operador financeiro do ex-governador. O MPF também denunciou Maciste por organização criminosa.