Cinco autoridades que participaram da posse de Fux testaram positivo para Covid-19

Além do próprio presidente do STF, Rodrigo Maia, os ministros do STJ, Luis Felipe Salomão e Antonio Saldanha, e Maria Cristina Peduzzi, do TST, confirmaram a infecção pelo novo coronavírus nesta semana

  • Por Gabriel Bosa
  • 16/09/2020 15h16 - Atualizado em 16/09/2020 15h42
Divulgação/STFPosse ocorreu nesta quinta-feira, 10, com medidas para restrição do novo coronavírus

Cinco autoridades que participaram da cerimônia de posse de Luiz Fux para a presidência do Supremo Tribunal Federal (STF) na quinta-feira passada, 10, testaram positivo para o novo coronavírus nesta semana. Além do próprio Fux, que anunciou nesta segunda-feira, 14, ter contraído a Covid-19, os ministros do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), Luis Felipe Salomão e Antonio Saldanha, foram diagnosticados na terça. Hoje, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e a ministra Maria Cristina Peduzzi, do Supremo Tribunal do Trabalho (TST) também informaram que estão contaminados pelo coronavírus. O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, que discursou na cerimônia de posse, fez teste para detectar a Covid-19 e aguarda resultado. A assessoria de Fux afirmou que ele provavelmente contraiu o vírus no sábado, 12, ao participar de uma confraternização de família. O presidente Jair Bolsonaro e Davi Alcolumbre, presidente do Senado, também participaram da posse, mas já testaram positivo para o novo coronavírus e se recuperaram.

Fux assumiu a presidência do STF  em sessão especial marcada por medidas para evitar a disseminação da Covid-19, como a limitação de 50 dos 250 lugares disponíveis no plenário, a obrigação do uso de máscaras e a instalação de placas de acrílico para separar os assentos na mesa de autoridades. Como primeiro ato simbólico, o novo presidente fez uma homenagens aos mortos e familiares das vítimas da pandemia da Covid-19. Fux foi o primeiro ministro do STF diagnosticado com o novo coronavírus. Na semana passada, o novo presidente divulgou as pautas do Supremo até o fim de 2020, com ênfase na promoção da segurança jurídica e auxílio ao trabalho de todos os envolvidos nos processos que estão em tramitação.