Pela primeira vez desde dezembro, nenhum Estado apresenta taxa de ocupação de UTI acima de 90%

Segundo o boletim Observatório Covid-19 da Fiocruz, a tendência de queda de casos e mortes pela doença foi mantida pela terceira vez consecutiva

  • Por Jovem Pan
  • 14/07/2021 15h17 - Atualizado em 14/07/2021 16h09
Sandro Pereira/Estadão ConteúdoApenas quatro capitais tem ocupação de leitos acima de 80%

Pela primeira vez desde dezembro de 2020, nenhum Estado brasileiro apresenta taxa de ocupação de UTI acima de 90%, segundo o boletim Observatório Covid-19 da Fiocruz, divulgado nesta quarta-feira, 14. Apenas cinco Estados apresentaram crescimento na ocupação de leitos: Rondônia, Amazonas, Pará, Tocantins e Goiás. Apenas quatro capitais tem lotação acima de 80%, Rio de Janeiro, São Luís, Goiânia e Brasília. Segundo o boletim, a tendência de queda nos indicadores de incidência e mortalidade por coronavírus foi mantida na última semana epidemiológica, de 4 a 10 de julho, pela terceira vez consecutiva. O número de casos e óbitos está caindo cerca de 2% ao dia. Já a taxa de letalidade está estável em 3%, número ainda considerado alto.

Segundo os pesquisadores da Fiocruz, a queda no número de casos e óbitos pode indicar um processo de arrefecimento da pandemia para os próximos meses. No entanto, o boletim alerta que a única forma de melhorar a situação é com a intensificação da campanha de vacinação, a adequação das práticas de vigilância em saúde, reforço da atenção primária à saúde, além do amplo emprego de medidas de proteção individual, como o uso de máscaras e o distanciamento físico. “É importante destacar que as vacinas disponíveis apresentam limites em relação ao bloqueio da transmissão do vírus, que continua circulando com intensidade. As vacinas são especialmente efetivas na prevenção de casos graves”, reforçam.