Polícia ainda tenta encontrar Battisti; avião italiano aguarda para extradição

  • Por Jovem Pan
  • 16/12/2018 09h12
Alisson Gontijo/Estadão ConteúdoExtradição do italiano foi decretada por Michel Temer na sexta

A Polícia Federal continua tentando encontrar o paradeiro de Cesare Battisti. Condenado a prisão perpétua na Itália, o ex-ativista teve sua extradição decretada pelo presidente Michel Temer na última sexta-feira (15) e está foragido desde então. Um avião do governo italiano já está no Brasil para levado ao país de origem, onde cumprirá pena.

Investigadores tentaram encontrar Battisti em diversos endereços, mas ele não foi encontrado. Ele também não estaria mantendo contato com o próprio advogado. Na quinta (14), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux determinou a prisão do italiano após pedido da procuradora-geral da República, Raquel Dodge.

Entenda o caso

Battisti está no Brasil desde 2004, depois de ter vivido por 30 anos como fugitivo na França e no México. A extradição chegou a ser cogitada, mas foi negada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no último dia de mandato. A partir de 2010, o italiano passou a viver em São Paulo e chegou a ser preso ao tentar sair do País com destino à Bolívia.

Jair Bolsonaro, eleito em outubro, já havia demonstrado a vontade de enviar o condenado à Itália. Após essas declarações, Cesare Battisti chegou a dizer que confiava nas instituições brasileiras. Integrante um grupo armado comunista, ele teria cometido diversos homicídios ao longo da década de 1970, pelos quais foi julgado.

Itália agradece

Em agradecimento à extradição, o governo da Itália enviou carta ao presidente do Brasil. “Quero expressar meu mais sincero agradecimento pela decisão sobre o caso do cidadão italiano Cesare Battisti, condenado pela justiça por crimes gravíssimos e que até hoje se subtraiu à execução das sentenças”, diz o texto do presidente Sergio Mattarella.

A carta foi reproduzida pelo governo italiano em redes sociais. “Seu gesto constitui um testemunho significativo da amizade antiga e sólida entre o Brasil e a Itália e atesta a sensibilidade em relação a um caso complexo e delicado, que desperta sentimentos de intensa participação na opinião pública de nosso país”, acrescentou Mattarella.