Prefeitura de São Paulo cancela carnaval de rua e mantém desfiles no Anhembi

Decisão foi tomada em decorrência do aumento de infectados pela variante Ômicron no município; cidade já pode registrar um número de casos da doença maior do que o da segunda onda, em 2021

  • Por Jovem Pan
  • 06/01/2022 11h30 - Atualizado em 06/01/2022 12h31
MISTER SHADOW/ASI/ESTADÃO CONTEÚDO carnaveal Outros eventos, independente da quantidade de pessoas, deverão exigir passaporte da vacina

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), anunciou nesta quinta-feira, 6, o cancelamento do carnaval de rua em 2022. A decisão foi tomada em reunião entre Nunes e representantes da Secretaria de Saúde, que recomendaram que as festividades não acontecessem em decorrência do novo aumento de casos de Covid-19 e do surto de influenza. Dados apresentados pela prefeitura mostram o crescimento da contaminação pela variante Ômicron no município. A cidade já pode registrar um número de casos da doença maior do que o da segunda onda, no início de 2021. “A sugestão é que a cidade cancele as atividades do Carnaval de rua desse ano. A circulação de uma grande quantidade de pessoas pode agravar esse quadro que nós temos hoje aqui na cidade”, afirmou o secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido.

Predominância das variantes de risco na cidade de São Paulo

Casos de síndrome gripe e síndrome respiratória aguda grave por semana epidemiológica na cidade de São Paulo

Inicialmente, a gestão municipal estudava transferir os desfiles de blocos para o Autódromo de Interlagos ou para o Memorial da America Latina. Durante a reunião, a ideia foi descartada. Entidades que representam blocos do Carnaval de rua de São Paulo já haviam emitido um comunicado nesta quarta-feira, 5, informando que a maioria dos grupos participantes dos coletivos não irão sair às ruas no carnaval. Assim como na cidade do Rio de Janeiro, os desfiles das escolas de samba foram mantidos. Agora, a prefeitura deve convocar a Liga de Escolas de Samba para a discussão de medidas sanitárias e para a construção de um protocolo. O evento acontecerá nos dias 25, 26, 27 e 28 de fevereiro no Sambódromo do Anhembi. Outros eventos, independente da quantidade de pessoas, deverão exigir passaporte vacinal para a entrada.

*Com informações da repórter Beatriz Manfredini