Prefeitura de SP antecipa vacinação de idosos acima de 80 anos para sábado

A partir de segunda-feira, 1º, trabalhadores autônomos da área da saúde acima de 55 anos também começarão a ser vacinados

  • Por Jovem Pan
  • 25/02/2021 12h41 - Atualizado em 25/02/2021 14h46
WERTHER SANTANA/ESTADÃO CONTEÚDOO prefeito de São Paulo, Bruno Covas, apresentou atualização no calendário da vacinação contra a Covid-19

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), anunciou nesta quinta-feira, 25, durante coletiva de imprensa, que o início da vacinação de idosos acima de 80 anos será antecipada para este sábado, 27. O início estava previsto para segunda-feira, 1º, mas, a partir de sábado, esse grupo poderá ser vacinado nos cinco postos de drive-thru da cidade e nas 82 AMAs. Na segunda-feira, a imunização também acontecerá nas 468 UBSs da capital paulista. No mesmo dia, a campanha será ampliada para trabalhadores autônomos da área da saúde com 55 anos ou mais, independentemente de estarem ou não na linha de frente de enfrentamento à Covid-19, e também para cerca de 3.500 profissionais da Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social que lidam com idosos e com a população em situação de rua.

Na coletiva de imprensa, o secretário de Saúde, Edson Aparecido, apresentou o resultado do 3º inquérito sorológico de 2021, realizado entre o último inquérito, em 21 de janeiro, até dia 4 de fevereiro. A amostra foi composta por 5.760 pessoas, entre elas, 1.745 coletas foram realizadas e 281 dos indivíduos testaram positivo para Covid-19. Com isso, a taxa de prevalência da Covid-19 na capital paulista passou de 13,9% para 16%. Enquanto no último levantamento a prevalência se mantinham igual nas regiões do município, agora é possível notar um aumento da prevalência na região leste, que registrou um índice de 22,9%, quase duas vezes a taxa da região sudeste (11,8%). A região norte teve uma prevalência de 12,3%, a região centro-oeste, de 13,2%, e a sul, de 16,4%. Em relação ao IDH, a taxa de contaminados nas regiões de IDH baixo (20,5%) é quase o dobro da taxa apresentada nas regiões com o IDH alto (10,5). A faixa de IDH médio registrou um índice de 16%.

Houve um aumento no número de indivíduos assintomáticos. Nos resultados do 3º inquérito, 43% dos reagentes eram assintomáticos. Nos inquéritos realizados em 2020, a porcentagem se mantinha em torno de 30%. O número de pessoas que frequentam pelo menos um local não essencial, como restaurantes, academias, cafés e bares, cresceu. Passou de 33,5% na segunda fase do levantamento em 2021 para 35,9%. A taxa de prevalência da infecção nos indivíduos que frequentam esses locais é de 17,6%. O índice relativo ao número de anticorpos da população tem aumentado. A taxa de prevalência de anticorpos contra o coronavírus foi de 16%. Sobre os números de casos confirmados de Covid-19 na cidade de São Paulo, há uma tendência de aumento no número de notificações de novos casos em pessoas entre 20 e 45 anos. Também foi registrado um aumento expressivo de pessoas acima de 45 anos.