Saiba como funcionam e como usar os autotestes de Covid-19

Produto recebeu autorização da Anvisa para ser vendido em farmácias a partir desta sexta

  • Por Jovem Pan
  • 28/01/2022 15h56
PAULO LOPES/BW PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO Pessoa mostra autoteste da Covid-19 Autotestes são considerados uma estratégia para triagem de novos casos

Os autotestes para a detecção de casos de Covid-19 receberam autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para serem comercializados no Brasil nesta sexta, 28. A utilização deste tipo de teste é considerada importante pelo Ministério da Saúde como uma forma de triagem, diferenciando de outras doenças respiratórias, e para aumentar a detecção de casos. Assim, o autoteste deverá ser feito por quem apresentar algum sintoma de Covid-19 ou teve contato com quem testou positivo. Contudo, para o teste ter uma chance maior de dar o resultado certo, ele precisa ser utilizado da forma correta.

O autoteste funciona de forma parecida com o teste de antígeno, que detecta a presença de proteínas do vírus no nariz ou na garganta. O kit vem com um dispositivo de teste, solução de extração, filtro e o swab, que se assemelha a um cotonete e é usado para a coleta nasal, a mais comum. Cada produto também vem com instruções específicas para o uso que devem ser lidas, mas normalmente, depois de coletar o material no nariz ou pela saliva, o cotonete deve ser colocado dentro de um tubo, onde há um líquido — “solução de extração”. Depois disso, é preciso mexer o swab em movimento de rotação para as particulares se misturarem no líquido. Então, deve-se fechar o tubo com a tampa conta-gotas e pingar algumas gotas no dispositivo do teste. Então, basta esperar o tempo estipulado pelo fabricante para se ter o resultado, que geralmente é entre 15 e 30 minutos.

A leitura do resultado do teste será feita de forma semelhante à de um teste de gravidez – caso haja duas linhas, o coronavírus foi detectado. Caso o resultado seja positivo, a pessoa deve procurar um posto de saúde ou hospital para que seja examinado e tenha o diagnóstico confirmado, provavelmente com um teste RT-PCR, considerado o ‘padrão ouro’ para detecção do vírus. O teste deverá ser feito entre três a sete dias após o aparecimento dos sintomas ou entre cinco e sete dias após o contato com uma pessoa infectada – caso contrário, o resultado poderá ser um falso negativo. Ainda não há uma previsão de quando os autotestes estarão disponíveis para compras em farmácias, mas isso deve ocorrer nos próximos dias.