Tenente-coronel da PM denunciado por assédio se aposenta e é promovido em São Paulo

Após as denúncias, o oficial foi afastado do comando do batalhão em abril deste ano; o inquérito policial que apura o caso segue em segredo de Justiça

  • Por Jovem Pan
  • 17/07/2021 17h38 - Atualizado em 17/07/2021 18h47
Montagem/Instagram Jessica Paulo/Arquivo pessoalA ex-soldado Jéssica Paulo do Nascimento, que fez a denúncia, pediu exoneração alegando pressão e perseguição de colegas de trabalho

O tenente-coronel da Polícia Militar de São Paulo, Cassio Pereira Novaes, que havia sido afastado do comando do batalhão, em abril deste ano, após ser denunciado por assédio e ameaça de morte, se aposentou e foi promovido a coronel, neste fim de semana. A aposentadoria e a promoção foram publicadas na edição deste sábado, 17, do Diário Oficial do Estado de Estão Paulo. Segundo a ex-soldado Jéssica Paulo do Nascimento, que fez a denúncia, ainda em 2018 Novaes teria feito uma série de investidas para sair com ela e, após ter os apelos negados, teria começado a “persegui-la” com mensagens e sabotá-la dentro da corporação. Por causa disso, ela passou a ter acompanhamento psicológico e pediu afastamento não-remunerado de dois anos do cargo que ocupava. Este ano, ao voltar ao trabalho após o término da licença, a ex-soldado disse que as investidas continuaram, quando decidiu apresentar a denúncia à Corregedoria da PM.

Na ocasião, a corporação informou, em nota, que instaurou um inquérito policial e afastou o oficial do comando do batalhão ainda em abril. Em maio, alegando pressão e perseguição de colegas de trabalho, Jéssica pediu exoneração. “Eu senti que se eu continuasse a trabalhar naquele meio aconteceriam coisas que poderiam manchar a minha reputação, até mesmo de eu ser expulsa. Porque todos os dias eu estava levando advertências sem motivos, por coisas fúteis, como por exemplo dar entrevista dentro da minha casa”, lembrou na época. Jéssica contou, ainda, que, após as primeiras denúncias, recebeu uma série de mensagens de pessoas dentro e fora da polícia que passaram por situações semelhantes à dela.

A Jovem Pan entrou em contato com a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, que esclareceu que o inquérito policial segue em segredo de Justiça e está dentro do prazo legal. Ainda segundo o órgão, o coronel Cassio Pereira Novaes aposentou-se por tempo de serviço, e a promoção dos policiais militares ao posto imediatamente superior quando da sua inativação é regulamentada por lei. Jéssica, por sua vez, reclama da demora na conclusão do processo. “Eu denunciei esse homem pela Corregedoria no dia 2 de abril. Já estamos em julho e até agora meu advogado não teve acesso ao processo porque eles colocaram em segredo de Justiça. Assim dando tempo desse tenente-coronel dar entrada e ser aposentar rapidamente”. Ainda segundo a ex-soldado, a sensação é de “impunidade”. “Eu não quero prejudicar ninguém. Não quero que seja feito nada para mais ou para menos. Mas quero a Justiça. Eu tive que pedir demissão por não querer sair com ele. Isso não é justo”.